Últimas Notícias > Atividades Empresariais > Emprego fica estável em junho e fecha primeiro semestre com 392,4 mil novas vagas

O Movimento dos Trabalhadores sem Teto invadiu o apartamento triplex no Guarujá atribuído a Lula

Cerca de 30 militantes pularam as grades de acesso ao prédio e subiram 16 lances de escada. Eles fixaram bandeiras do movimento na varanda com vista para o mar. (Foto: Reprodução/Facebook)

Em uma ação que consumiu menos de cinco minutos, cerca de 30 militantes sem-teto invadiram nesta segunda-feira (16) o apartamento triplex atribuído ao ex-presidente Lula e pivô de sua condenação na Lava-Jato.

O grupo faz parte do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), coordenado por Guilherme Boulos, pré-candidato à Presidência pelo PSOL e uma das lideranças sociais mais próximas de Lula. Cerca de cem pessoas, divididas em 20 ônibus, chegaram ao edifício para a invasão. A Polícia Militar foi acionada.

Cerca de 30 militantes pularam as grades de acesso ao prédio e subiram 16 lances de escada. Eles fixaram bandeiras do movimento na varanda com vista para o mar. Da sacada do prédio, manifestantes gritam: “não tem arrego. Ou solta o Lula, ou não vai ter sossego”. “É uma denúncia da farsa judicial que levou Lula à prisão. Se o tríplex é dele, então o povo está autorizado a ficar lá. Se não é, precisam explicar porque ele está preso”, diz Boulos.

O pré-candidato esteve ao lado dele o tempo todo no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, nas horas que antecederam a prisão, e mobilizou integrantes de um acampamento próximo para engrossarem as manifestações em torno do prédio que pediam que o petista não se entregasse.

No dia da prisão, ao discursar em uma missa em homenagem a dona Marisa, Lula chamou Boulos para a frente do caminhão de som e disse que ele tinha “futuro”. Um dia depois, Lurian, a filha de Lula, discursou para integrantes do MTST, agradeceu o apoio e disse que Boulos era como “um filho” para Lula.

O ex-presidente Lula foi preso no último dia 7 em São Bernardo do Campo após mandado de prisão expedido pelo juiz Sérgio Moro. Ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Eleição

Um terço dos eleitores que votaria no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso no dia 7, prefere votar em branco ou anular o voto, em vez de escolher outro nome. A pré-candidata da Rede, Marina Silva, herdaria o maior número de votos de Lula. É o que mostra pesquisa Datafolha divulgada no domingo (15). Segundo o mesmo levantamento, porém, dois de cada três eleitores do ex-presidente dizem que votariam em um candidato indicado por ele.

A pesquisa, a primeira realizada após a prisão de Lula, mostra, também, que o petista perdeu apoio do eleitorado. Lula aparece com 31% das intenções de voto, seis pontos percentuais a menos que no levantamento anterior feito em janeiro.

Pesquisa Datafolha

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 13 de abril, em 227 municípios. Foram feitas 4.194 entrevistas A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Caso Lula não participe da eleição, entre os eleitores do líder petista, 20% votariam em Marina Silva (Rede), 15% no Ciro gomes (PDT), 5% em Jair Bolsonaro (PSL), 5% em Geraldo Alckmin, 3% em Ávaro Dias (Podemos), 3% em Manuela D’ Ávila (PCdoB), 3% em Fernando Haddad (PT), 7% em outros, e 32% branco ou nulo ou nenhum. Não souberam responder 3%. Votariam em um candidato apoiado por Lula 30% dos eleitores com certeza e 16% talvez. Não votariam nele 52% dos entrevistados.

Deixe seu comentário: