Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > O Produto Interno Bruto do Rio Grande do Sul ficou estável no terceiro trimestre deste ano

Sulpetro esclarece sobre aumento no custo dos combustíveis

O Sulpetro ressalta que o mercado é livre e competitivo em todos seus segmentos, cabendo a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não os aumentos ao consumidor, bem como em qual percentual, de acordo com as suas estruturas de custo.(Foto: Reprodução)

O Sulpetro (Sindicato dos Postos de Combustíveis do RS) lembra que, nos últimos 90 dias, ocorreram alguns acréscimos no custo dos combustíveis, notadamente na gasolina. Primeiro, foram os tributos, sendo o PIS/Cofins em julho, que passou de R$ 0,284 para R$ 0,5869 por litro (aumento de R$ 0,30). Neste mesmo período, o valor de pauta de ICMS-ST passou de R$ 3,745 para R$ 4,1416, representando um acréscimo de R$ 0,40, ocasionando um aumento de R$ 0,12 (alíquota de 30% sobre a diferença).

Com relação ao custo do produto em si, a gasolina A, que compõe com 73% a chamada gasolina automotiva (gasolina C), a variação, neste mesmo período, foi de R$ 0,10 por litro, dentro desta nova política de preços da Petrobras com alterações quase que diárias. O outro componente da mistura, o etanol anidro, que representa 27% da gasolina C, com variação em bolsa divulgada semanalmente pela Cepea-Esalq-SP, foi de R$ 0,05 por litro.

O somatório dos itens acima representou um aumento no custo da gasolina de 20% neste período de 90 dias, repercutindo em toda a cadeia de mercado, representada pelas distribuidoras e postos de combustíveis.

Na atual composição do preço da gasolina, praticamente a metade (48%) se refere aos tributos estaduais (R$ 1,25) e federais (R$0,69), restando 40% para o custo do produto, distribuição e fretes e, no máximo 12% para a atividade final de comercialização no varejo (postos combustíveis), para a cobertura de seus custos com aluguéis, cartões, frentistas, energia, etc.

O Sulpetro ressalta que o mercado é livre e competitivo em todos seus segmentos, cabendo a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não os aumentos ao consumidor, bem como em qual percentual, de acordo com as suas estruturas de custo.

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.