Mulheres protestaram no Alabama contra a lei que condena o aborto

Defensores dos direitos da mulher realizaram no domingo (19) protestos em várias cidades do estado do Alabama, no Sudeste dos Estados Unidos, contra uma lei que condena o aborto como homicídio e cujos autores buscam forçar uma mudança de jurisprudência a nível nacional.

Desde a última quarta-feira (15), uma lei que proíbe o aborto passou a valer no Alabama, exceto em casos de risco de morte para a mãe mas sem ressalvas para vítimas de incesto ou estupro. A medida entra em vigor em novembro, mas pode vir a ser bloqueada por um juiz antes.

“Vamos voltar à época quando as mulheres praticavam os abortos elas mesmas”, disse Maralyn Mosley, de 81 anos, ao jornal local Montgomery Advertiser. Ela praticou o aborto aos 13 quando ainda era ilegal, após ser violentada por um tio.

“Vamos voltar às agulhas de tricô e aos úteros perfurados. Vamos voltar a quando as mulheres morriam sangrando”, comentou.

A lei, que se refere ao feto como uma “criança não nascida”, determina entre dez e 99 anos de prisão para o médico que pratique o aborto, porque considera esse ato como um homicídio. Por outro lado, não estipula pena para a mãe, mas, devido a essa brecha na lei, ela pode ser considerada cúmplice do crime.

A elaboração da lei faz parte de uma ofensiva republicana que busca levar a discussão do aborto à Suprema Corte. Eles esperam que os magistrados, que agora são de maioria conservadora, revertam a legalidade do aborto a nível nacional.

Em 1973, uma decisão conhecida como “Roe vs. Wade” permitiu o aborto em todo o país até que o feto esteja formado, por volta das 24 semanas da gravidez.

Também na última semana, o Missouri tornou ilegal o aborto a partir de oito semanas. Outros seis Estados — Georgia, Ohio, Mississippi, Kentucky, Iowa e Dakota do Norte — promulgaram leis que proíbem essa ação a partir do momento que se detecta um batimento cardíaco, por volta das seis semanas. Nenhuma medida entrou em vigor.

No sábado (18), o presidente Donald Trump se posicionou sobre o tema e afirmou que, apesar de ser “decididamente pró-vida”, está de acordo com o aborto em “três exceções — estupro, incesto e para proteger a vida da mãe”, publicou ele em uma rede social.

Apenas votos de homens

A lei foi aprovada com os votos de 25 senadores, todos eles homens, brancos e membros do Partido Republicano. A casa tem 35 assentos, dos quais apenas quatro são ocupadas por mulheres.

Democratas e defensores do direito ao aborto dizem que a medida do Alabama levaria o procedimento para o subsolo, pondo em perigo a vida de mulheres e meninas e afetando de modo desproporcional as cidadãs pobres e de minorias.

“Queremos que os abortos sejam seguros, e queremos que sejam poucos, mas deve ser legalizado, porque haverá abortos”, disse a senadora democrata Linda Coleman-Madison, uma das quatro mulheres no Senado de 35 membros.  “As pessoas que têm meios irão para outros Estados”, acrescentou ela. “Nem todo mundo pode pagar por isso.”

Dois tornados deixaram mais de vinte pessoas mortas no Alabama

Agentes de resgate vasculhavam destroços à procura de mais mortos e feridos depois que dois tornados sucessivos atingiram o Estado norte-americano do Alabama, matando ao menos 23 pessoas, disseram autoridades.

As tempestades causaram mais danos no condado de Lee, uma área que inclui Auburn, a maior cidade do Alabama, no domingo (3), destruindo diversas casas e pontos comerciais. Há relatos de mais de 50 feridos, e o saldo de mortes deve aumentar.

Os tornados destruíram o condado de Lee com ventos de pelo menos 240 quilômetros por hora, ficando no ponto médio da escala Fujita, que meteorologistas usam para medir a força do fenômeno.

Mais de 50 pessoas ficaram feridas e o número de mortos deve subir, afirmaram autoridades. Isso poderá tornar a tempestade mais mortal que o tornado que destruiu Moore, no Estado de Oklahoma, em 2013, que matou 24 pessoas.

Imagens de emissoras de televisão e em mídias sociais mostraram árvores arrancadas e casas com paredes destruídas.

Enquanto isso, cerca de 25 centímetros de neve devem cair na área da cidade de Nova York na manhã desta segunda-feira (4) devido à chegada de mais uma rajada de frio do Ártico, o que fez todas as escolas da metrópole fecharem e Nova Jersey declarar estado de emergência.

Ventos frios intensos provocarão a sensação térmica de 26 graus Celsius negativos em Chicago nesta segunda-feira, alertou o Serviço Nacional do Clima. As temperaturas reais ficaram em torno de 9°C negativos nesta segunda-feira.

As aulas também foram canceladas ou adiadas em Boston, já que cerca de 18 centímetros de neve cairiam na manhã desta segunda-feira e depois se transformariam em granizo, disse Bob Oravec, meteorologista do serviço. “O inverno definitivamente ainda não acabou”, afirmou.

Operações

No Alabama, o xerife do condado de Lee, Jay Jones, disse que as operações de busca e resgate foram difíceis de madrugada. “O desafio é o volume enorme de destroços onde todas as casas estavam localizadas”, explicou ele em uma entrevista à CNN no domingo. “Nunca vi tanto, até onde consigo lembrar.”

As temperaturas do Alabama ameaçavam cair quase ao ponto de congelamento após os tornados, e milhares enfrentaram uma noite sem energia.

Mais de 6 mil residências no Alabama ficaram sem energia elétrica, e 16 mil casas tiveram interrupções no fornecimento de energia no estado vizinho da Geórgia.

No Twitter, no domingo (3) à noite, o presidente Donald Trump se dirigiu às vítimas e suas famílias: “Por favor, tomem cuidado e fiquem seguros. Tornados e tempestades foram realmente realmente violentos e mais pode estar a caminho”.

Policial gera comoção ao cuidar de bebê após pais sofrerem overdose

A policial Michelle Burton está sendo chamada de “uma verdadeira heroína” após ser fotografada cuidando de uma criança durante uma ocorrência trágica em Birmingham, no Alabama (Estados Unidos). O bebê, uma menina que tem apenas 1 mês, precisou ficar sob os cuidados da agente após seus pais sofrerem uma overdose – que matou o pai e deixou a mãe em condição crítica.

Doação de afeto. 

Na foto, publicada no Facebook pelo marido da policial, o sargento Brian Burton, Michelle aparece com apenas uma das outras três crianças afetadas pela situação: uma menina de 7 anos e dois meninos, de 3 e 2 anos. Ela contou que na delegacia é chamada de “mama” devido ao amor que tem por cuidar de crianças. Ela ainda disse que, apesar da situação, a menina dormiu calmamente. “Tirei todos os meus equipamentos, peguei a menina e apenas a segurei no colo, porque sei que os bebês gostam disso”, relembrou. “Ela dormiu e dormiu até não conseguir mais”.

Tutela do Estado. 

A polícia foi chamada após os vizinhos da família ouvirem o choro das crianças e encontrarem os pais inconscientes. Ao chegarem ao local, os agentes encontraram o homem, de 30 anos, morto no chão da cozinha e a mãe, de 35, desmaiada no sofá. Ela foi levada para um hospital da região. A atitude sensível da agente foi bastante elogiada na publicação, que chegou a mais de 1,6 mil compartilhamentos na rede social. As crianças foram levadas para a delegacia da região, onde ficaram sob os cuidados de Michelle e de outros agentes durante a madrugada. Elas ficarão sob a custódia do Estado americano.

 

Homem morre após fazer a esposa de refém e atirar em um policial

O xerife adjunto do condado de Randolph, Alabama, nos Estados Unidos, levou dois tiros de um homem que fez sua própria esposa refém em uma área de acampamento. O atirador foi morto pela polícia. O xerife ferido, que ainda não foi identificado, foi levado a um hospital da região, informaram autoridades à imprensa local.

Incidente começou no sábado. 

A esposa do agressor está a salvo e ilesa. Não há informações sobre o motivo do incidente, que durou várias horas. Imagens do ocorrido foram publicadas na internet. Confira.  A imprensa local relatou ainda que o caso começou no sábado (9), quando o homem ateou fogo no quintal de sua casa e no seu carro. O suspeito também teria matado o cachorro de seu filho. A ocorrência mobilizou diferentes órgãos policiais americanos, entre eles a SWAT.

 

Mulher é presa após ser flagrada sob efeito de drogas tendo um ataque convulsivo ao lado do filho

Uma série de denúncias e a viralização de um vídeo levaram à prisão de uma jovem de 18 anos, em Mobile County, no americano do Estado do Alabama. Nas imagens, Lauren Brooke Englett é vista sob efeito de entorpecentes, ao lado de seu filho e de um homem, também visivelmente drogado. Lauren chega a ter um ataque convulsivo durante a gravação.

Denúncias indignadas. 

Há cerca de 15 dias a polícia local vinha recebendo chamados de cidadãos indignados com o flagrante. Desde então, as autoridades vinham à caça da identidade das pessoas filmadas, inclusive a terceira pessoa, que grava o vídeo. De acordo com entrevista concedida por Lori Myles, assessora da polícia de Mobile County, ao site Alabama.com, foram recebidos e-mails até da Inglaterra.

Prisão dos envolvidos. 

Segundo Lori, a polícia já identificou Lauren e as outras duas pessoas. Ao ser abordada na casa da mãe, Lauren não resistiu e foi presa preventivamente, enquadrada por violência doméstica. Jamie Jemison, que aparece ao lado de Lauren, e Rachel Rikard, responsável pela filmagem, estão foragidos. Ao ser detida, a mulher admitiu estar sob efeito de drogas no momento da gravação. A criança está sob custódia da polícia, que não divulgou mais detalhes sobre as investigações do caso. “A criança está segura”, declarou a assessora da polícia ao Alabama.com. (AG)

 

Tornados deixam mortos e dezenas de feridos nos Estados Unidos

Tornados assolaram os Estados norte-americanos da Louisiana e do Mississippi na terça-feira (23), matando pelo menos três pessoas e ferindo mais de 30. Dezenas de casas e estabelecimentos comerciais foram atingidos, disseram os serviços de meteorologia e de emergência.

A parte mais atingida da Louisiana foi a aldeia de Convent, às margens do rio Mississippi, onde 90 % dos estimados 160 trailers do acampamento de Sugar Hill foram arrasados, segundo a Polícia Estadual.

O conjunto de tempestades ameaçava virar um tornado a qualquer momento durante a noite de terça-feira, à medida que seguia para o leste através do Mississippi rumo ao Alabama, disse Mike Efferson, meteorologista do Serviço Nacional de Meteorologia de Nova Orleans. O serviço alertou que o Alabama pode receber tornados e granizo no início desta quarta-feira (24). (AG) 

Homem que bateu em colegas por causa de um cachorro-quente pegou 3 anos de prisão

Um homem do Estado americano do Alabama foi condenado a três anos de prisão após ser acusado de ter agredido dois homens com um pedaço de madeira encravado de pregos durante uma discussão por dois cachorros-quentes.

Briga. 

De acordo com o jornal TimesDaily, o detetive Justin Wright, da polícia da cidade de Florence, disse que George Weakley “Old School” Rhodes Jr., 66 anos, estava bebendo acompanhado de dois homens em junho, quando um deles se recusou a compartilhar os hot-dogs com os outros.

Confissão. 

Por essa razão,  Rhodes feriu os dois homens com o pedaço de pau. Ambos foram hospitalizados, mas mais tarde liberados sem grandes ferimentos. O agressor se declarou culpado da acusação da Justiça. Ele já havia cumprido uma sentença de cinco anos por homicídio culposo.

Foto de policial segurando um bebê no colo após acidente faz sucesso na internet

A imagem de um policial consolando um bebê após uma colisão envolvendo quatro veículos viralizou nas redes sociais. Segundo a emissora americana FOX News, o acidente aconteceu  em uma rodovia na região de Leeds, no Alabama (Estados Unidos).

Cena comovente. 

Na foto, postada na página do departamento de polícia do condado de Jefferson, o policial Ric Lindley aparece com uma criança no colo em meio a cena do acidente.
O sargento Jack Self contou que o policial agiu para ajudar uma das pessoas envolvidas na colisão. “A mulher estava assustada, segurando o bebê. Ele perguntou se poderia segurar a criança e ela disse que sim “, contou o sargento.

Modéstia. 

Após o resgate das vítimas, que não tiveram ferimentos sérios, o policial falou sobre o acidente com Self. “Não fiz nada que outro policial, pai ou avô não teriam feito”, afirmou Lindley ao sargento.

A imagem emocionou os internautas e teve mais de 5 mil compartilhamentos, além de centenas de comentários elogiando a atitude do policial. Quatro pessoas ficaram feridas no acidente, mas não há informações sobre a gravidade dos ferimentos. As causas da colisão serão investigadas.

Homem atira em noiva, bebê e pastor em uma igreja nos Estados Unidos

Um homem foi acusado de três tentativas de homicídio depois de balear sua noiva, um bebê  e um pastor, dentro de uma igreja no Estado do Alabama, afirmaram autoridades locais neste fim de semana.

Júnior James Minter, 26 anos, da cidade de Selma, foi detido após o crime, ocorrido durante uma cerimônia religiosa na igreja Tabernáculo Oasis, de acordo com o procurador federal de Dallas County, Michael Jackson. O agente afirmou que o ataque aconteceu devido a problemas de relacionamento do casal.

Fúria. 

Testemunhas contaram à polícia que Minter entrou na igreja e se sentou na primeira fila, ao lado de sua noiva e do bebê, que é filho de ambos e tem 1 mês de vida. De repente, o homem puxou a arma e começou a atirar, disse o comunicado da polícia. A mulher  caiu no chão, e em seguida ele deu um tiro na mandíbula e no ombro dela. O bebê foi baleado em uma das mãos.

O pastor da igreja agarrou o atirador e acabou sendo baleado na perna. Os membros da congregação ajudaram a imobilizar Minter e conseguiram agarrar a arma. O atirador, no entanto, fugiu do local. O pastor foi levado para uma sala de emergência local, enquanto a mulher e o bebê foram levados para um hospital em Birmingham. As vítimas estão em condição estável.

Após o ataque, Minter foi capturado pela polícia e detido, sem direito a fiança, na cadeia do condado de Dallas. O Departamento de Polícia de Selma informou que o homem poderia enfrentar outras acusações e que o possível motivo do ataque seria uma desavença sobre as visitas à criança. (AG)