Sine de Porto Alegre abrirá 161 vagas nesta segunda-feira

Trabalhadores que estão desempregados podem encontrar uma oportunidade nesta segunda-feira (27). O Sine de Porto Alegre informou que abrirá 161 vagas de emprego a partir desta data. Os postos não ficarão disponíveis apenas no dia, mas até que sejam preenchidos. As vagas têm limite de cartas de encaminhamento. O maior número...

O governo Bolsonaro cede e oferece a partidos políticos chefias de empresas estatais com projeção regional

O governo de Jair Bolsonaro cedeu, e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, fez uma lista de cargos de segundo escalão com grande projeção regional. Na próxima semana, ele começará a discutir a distribuição dos postos entre os partidos de centro e de centro-direita que o governo quer aproximar do Palácio...

Derrotados nas eleições, políticos ganham cargos e até ocupam antigas cadeiras em Brasília

Na semana passada, o ex-deputado Amauri Teixeira (PT-BA) estava sentando na primeira fila, reservada aos parlamentares, na Comissão de Minas e Energia da Câmara. Derrotado em 2014, ele desistiu de se candidatar em 2018, mas não desapegou da vida nos corredores do Congresso. Teixeira foi nomeado para um cargo de...

O próximo procurador-geral da República terá de cortar gastos da instituição e fechar procuradorias em municípios do interior, além de enfrentar pressões ligadas à defesa de interesses da corporação

Cortar gastos da instituição e fechar procuradorias em municípios do interior, além de enfrentar pressões ligadas à defesa de interesses da corporação serão algumas das obrigações do próximo procurador-geral da República, assim como a institucionalização da lista tríplice para escolha do chefe do MPF (Ministério Público Federal). Neste contexto, a...

Decreto de Bolsonaro corta mais de 13 mil cargos em universidades públicas

O decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro para extinguir cargos, funções e gratificações na administração pública atingiu em cheio a área de Educação, principalmente as universidades públicas federais. As informações são do jornal Folha de S.Paulo. Das 21 mil vagas eliminadas pelo governo, ao menos 13.710 estavam sob a guarda...

Líderes da Câmara dos Deputados querem limitar as indicações políticas no governo Bolsonaro

Líderes da Câmara dos Deputados querem que o decreto que estabelece exigências para a ocupação de cargos de confiança na administração pública federal, publicado pelo governo na segunda-feira (18), tenha validade desde 1° de janeiro. Caso o Palácio do Planalto não faça a mudança no texto, a Câmara deverá se articular...

Deputados federais rejeitam novos termos do governo para nomeações e questionam a ocupação de cargos por militares

O primeiro aceno do presidente Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional não adoçou líderes dos partidos com os quais o governo negocia apoios no Legislativo. Eles torceram o nariz para os termos que devem constar do decreto que vai nortear indicações para cargos públicos e acusam o Palácio do Planalto de...

No Congresso Nacional, o governo já oferece cargos e emendas para aprovar a reforma da Previdência

Pressionado por aliados em meio ao vácuo na articulação política , o governo decidiu na quarta-feira acelerar a liberação de emendas parlamentares e atender a indicações políticas para cargos do segundo e terceiro escalões. O recado sobre a “ansiedade de parlamentares pela participação no governo” foi levado ao presidente Jair...

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, prepara uma “faxina” em cargos de diretoria e coordenadoria da Casa controlados pelo MDB

Apesar do discurso de pacificação adotado após ser eleito presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) prepara uma “faxina” em cargos de diretoria e coordenadoria da Casa controlados pelo MDB. O alvo são servidores apadrinhados por seus antecessores – Eunício Oliveira (CE), José Sarney (AP) e Renan Calheiros (AL). As informações...

Indicados por Dilma continuam em agências reguladoras e na Comissão de Ética da Presidência da República

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro aposta em um forte discurso de “despetização”, assinando demissões em série nos cargos comissionados, alguns remanescentes do governo de Dilma Rousseff (2011-2016) não podem ser afetados pelas decisões do chefe do Executivo. Tratam-se de membros de conselhos e agências reguladoras. Ainda estão nos cargos 11 indicados...