Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Regra do teto de gastos pode impor perda de 9,46 bilhões de reais à saúde em 2020

Tia da mulher do ministro do Turismo que foi contratada por ele foi demitida do cargo onde ganhava quase 20 mil reais por mês

Escândalo causado pela postagem de fotos sensuais de Milena Santos, mulher do ministro do Turismo, Alessandro Teixeira, no gabinete do marido, trouxe à tona caso de nepotismo e mais abalos ao governo de Dilma Rousseff. (Crédito: Reprodução)

O ensaio fotográfico da ex-miss bumbum Miami 2013 Milena Santos, que se autointitulou em seu perfil no Facebook, primeira-dama do Ministério do Turismo do Brasil, fez a primeira vítima. Foi Delfina Alzira da Silva Gutierrez, tia de Milena Santos. Delfina foi nomeada, em novembro do ano passado, pelo então presidente da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e atual  ministro do Turismo, Alessandro Teixeira, para ocupar o cargo de secretária no órgão, com salário de 19.488,60 reais. Diante do novo escândalo, a tia da ex-miss bumbum foi demitida.

Órgão de altos salários. 

“Em função da mudança de direção da ABDI, e consequente reestruturação do gabinete da Presidência, informamos que, a senhora
Delfina Silva Gutierrez, foi desligada desta Agência”, informou, em nota, assessoria de imprensa do órgão. Apesar de exercer a função de secretária, Delfina ocupava um cargo de assessoramento especial da diretoria de nível 3 (CAE-3). A ABDI é um órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior e tem por missão “desenvolver ações estratégicas para a Política Industrial, promovendo o investimento produtivo, o emprego, a inovação e a competitividade da indústria brasileira”. A agência é considerada uma das caixas-pretas do governo em termos de contratações e de salários, mas os vencimentos dos funcionários não podem ser acessados pelo Portal da Transparência do governo federal.

Imagem maculada. 

Teixeira, que é filiado ao PT, trabalhou com a presidenta Dilma Rousseff como coordenador do programa de governo da campanha de reeleição, em 2014, antes de assumir o Ministério do Turismo. Ele era considerado nome de confiança da presidenta, com quem trabalhou como assessor especial, e que a acompanha desde os tempos de militância política no Rio Grande do Sul. No Planalto a nova notícia envolvendo Alessandro foi recebida com “desagrado” e “constrangimento” porque ajuda a “macular a imagem do governo,
que já enfrenta inúmeros problemas”.

Exposição negativa. 

Até então sempre discreto, Teixeira ganhou notoriedade após sua mulher publicar, em sua página do Facebook, uma série de fotos provocantes ao lado do marido, marcando sua estreia como “primeira-dama” da pasta. Junto com as fotos, postou que era o seu primeiro dia “no cargo”. Diante da repercussão, Milena excluiu seu perfil do Facebook. Na ocasião,  Teixeira “repudiou a exposição da intimidade do casal” e “lamentou” que tenham sido “resgatadas fotos antigas para denegrir a imagem dos dois”. (AE)