Home > Colunistas > Bem-vindo, maio

Turra diz que PP gaúcho é contra o voto em lista

O deputado estadual Sérgio Turra (Foto: Reprodução)

O alerta foi feito ontem pelo deputado estadual Sérgio Turra, do PP, ao analisar o atual momento político, onde há desconfiança e descrença nas instituições partidárias: “É preciso valorizar os partidos, sem exceção, buscando retomar a confiança da população porque só se melhora a política fazendo política”.

Como líder da bancada do PP, disse que “não podemos jogar mazelas ou acusar os outros”, mas é preciso analisar as causas da degeneração partidária. Turra solicitou o registro nos Anais da Assembleia de manifestação do presidente estadual do PP, Celso Bernardi, em convenção nacional, em Brasília, quando defendeu posição favorável à Lava-Jato e a responsabilização de todos os que cometeram desvio de conduta, porque “não temos corruptos de estimação”; apoio ao projeto contra a corrupção e combate ao enriquecimento ilícito de agentes públicos; favorável ao fim do foro privilegiado; e cautela na votação do projeto de lei que trata do abuso de autoridade, “para não impedir a atuação livre e democrática de agentes públicos como a PF, MP e o Judiciário”; sobre a reforma política, a posição é favorável ao fim das coligações proporcionais, cláusula de desempenho, voto distrital misto e contrário ao voto em lista.

Começa a venda do patrimônio da Cesa

A partir de um acordo firmado entre a Cesa, a Companhia Estadual de Silos e Armazéns e o Sindicato de Armazenagem do Rio Grande do Sul, o governo do Estado começa a resolver uma dívida trabalhista de R$ 280 milhões, que se arrastava desde o ano 2000.

O acordo, mediado pelo Juízo de Conciliação da 4 Vara de Porto Alegre, permitiu a liberação de venda imediata de 11 unidades da Cesa que estavam penhoradas em razão dos processos. A primeira unidade foi adquirida terça-feira pela Cooperativa Agropecuária de Júlio de Castilhos, que já era arrendatária do espaço. O negócio foi fechado por R$ 6,78 milhões.

Na próxima terça-feira, irá à venda a sede de Santa Rosa (atualmente também arrendada por cooperativa) e, no dia 24, a de Nova Prata. Serão ofertadas, respectivamente, por R$ 12,4 milhões e R$ 1,570 milhão.

O bom combate de Sartori

Não há como negar que o governador José Ivo Sartori fez, mais uma vez, a sua parte: permaneceu por dois dias em Brasília acompanhando a votação do Plano de Recuperação Fiscal dos Estados. Como ex-deputado federal, conseguiu circular livremente pelo plenário, articulando com os deputados que ainda têm receio em votar favoravelmente à aprovação do plano, temendo prejuízos eleitorais.

A divulgação da nova e devastadora lista de delações homologadas pelo ministro Edson Fachin, no entanto, paralisou a Câmara dos Deputados e tudo foi remetido, por ora, para as calendas…

A posição do MBL

Com pelo menos oito nomes ligados ao DEM citado, o Movimento Brasil Livre não pretende fazer protestos contra os políticos que estão na lista de inquéritos abertos pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, com base nas delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht. O MBL só pretende incluir os políticos listados por Fachin na pauta de manifestações quando a Procuradoria-Geral da República oferecer as denúncias contra esses investigados.

Comentários

Notícias Relacionadas: