Últimas Notícias > Notícias > Brasil > As propostas de reforma tributária que tramitam na Câmara e no Senado colocaram em campos opostos a indústria e os demais setores

Concerto especial marca primeira apresentação do coro sinfônico da Ospa em 2019

Programação destaca bras de Beethoven, Brahms e Prokofiev. (Foto: Maí Yandara/Divulgação)

Na tarde deste sábado, o coro sinfônico da Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) sobe ao palco do Centro Administrativo (rua Borges de Medeiros n 1.501, bairro Praia de Belas) pela primeira vez em 2019, dentro da da série de concertos Pablo Komlós. A programação destaca obras dos alemães Ludwig van Beethoven (1770-1827) e Johannes Brahms (1833-1897), além do russo Serguei Prokofiev (1891-1953). A regência é do maestro Manfredo Schmiedt e os solos da mezzo-soprano Mere Oliveira.

A apresentação inicia com a “Abertura Egmont Op. 84”, composta por Beethoven sob encomenda para a peça de Goethe, por quem o compositor nutria uma profunda admiração. A obra repercute todo o drama, força e triunfo dos Países Baixos em resistência à invasão das tropas espanholas. A canção é carregada de uma aura sombria, que aos poucos é ofuscada pela enérgica determinação do herói em notas musicais densas.

Em seguida, a sinfônica executa outra obra inspirada em um texto de Johann Wolfgang von Goethe: “Rapsódia para Contralto, Coro Masculino e Orquestra, Op. 53”, de Brahms, criada sobre trechos do melancólico poema “Viagem a Harz no Inverno”, que descreve a solidão do clima, com alternâncias de tranquilidade e efervescência.

Para encerrar o programa, “Alexander Nevsky Para Mezzo-Soprano, Coro e Orquestra Op. 78”, de Serguei Prokofiev. O compositor é reconhecido por obras-primas como o balé “Romeu e Julieta”, a ópera “Guerra e Paz” e a cantata, trilha do longa-metragem do concerto. A obra reproduz toda a musicalidade do conflito entre um príncipe russo e suas batalhas contra o povo germânico invasor.

A Ospa é uma das fundações vinculadas à Secretaria da Cultura do Rio Grande do Sul. Os concertos da temporada 2019 são patrocinados, via Lei Federal de Incentivo à Cultura (LIC), por Panvel, CMPC Celulose Riograndense, Corsan, Banrisul e Grupo Zaffari, com apoio de Ipiranga, Dufrio, Ventos do Sul, Audio Porto, Grupo Renner e Thyssenkrup. A realização é de Ospa, Fundação Cultural Pablo Komlós e Sedac.

Manfredo Schmiedt

É diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul e maestro do Coro Sinfônico da Ospa. Mestre em Regência pela Universidade da Geórgia (EUA) e graduado na mesma área pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, participou de cursos na Alemanha, Holanda, Argentina, Estados Unidos e Brasil. Em virtude do destacado currículo, recebeu as condecorações Pi Kappa Lambda Music Honor Society e Director’s Excellence Award. Atuou, durante quatro anos, como regente assistente do maestro Isaac Karabtchevsky na Ospa.

Mere Oliveira

Premiada em sete competições nacionais e internacionais de canto lírico, no Brasil, Argentina e Uruguai e Peru, o mezzo-soprano Mere Oliveira atuou por mais de trinta récitas no papel título da ópera “Carmen”. Apresentou-se na América Latina e em vários países da Europa, além de atuar como solista em alguns dos principais teatros de ópera do Brasil. É fundadora e diretora artística do Opera Studio do Vale, projeto que já realizou mais de 60 espetáculos operísticos com cantores de todo o Vale do Paraíba.

 

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: