Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Secretaria da Saúde de Porto Alegre realiza ação de prevenção contra HIV neste sábado

Concerto especial marca primeira apresentação do coro sinfônico da Ospa em 2019

Programação destaca bras de Beethoven, Brahms e Prokofiev. (Foto: Maí Yandara/Divulgação)

Na tarde deste sábado, o coro sinfônico da Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) sobe ao palco do Centro Administrativo (rua Borges de Medeiros n 1.501, bairro Praia de Belas) pela primeira vez em 2019, dentro da da série de concertos Pablo Komlós. A programação destaca obras dos alemães Ludwig van Beethoven (1770-1827) e Johannes Brahms (1833-1897), além do russo Serguei Prokofiev (1891-1953). A regência é do maestro Manfredo Schmiedt e os solos da mezzo-soprano Mere Oliveira.

A apresentação inicia com a “Abertura Egmont Op. 84”, composta por Beethoven sob encomenda para a peça de Goethe, por quem o compositor nutria uma profunda admiração. A obra repercute todo o drama, força e triunfo dos Países Baixos em resistência à invasão das tropas espanholas. A canção é carregada de uma aura sombria, que aos poucos é ofuscada pela enérgica determinação do herói em notas musicais densas.

Em seguida, a sinfônica executa outra obra inspirada em um texto de Johann Wolfgang von Goethe: “Rapsódia para Contralto, Coro Masculino e Orquestra, Op. 53”, de Brahms, criada sobre trechos do melancólico poema “Viagem a Harz no Inverno”, que descreve a solidão do clima, com alternâncias de tranquilidade e efervescência.

Para encerrar o programa, “Alexander Nevsky Para Mezzo-Soprano, Coro e Orquestra Op. 78”, de Serguei Prokofiev. O compositor é reconhecido por obras-primas como o balé “Romeu e Julieta”, a ópera “Guerra e Paz” e a cantata, trilha do longa-metragem do concerto. A obra reproduz toda a musicalidade do conflito entre um príncipe russo e suas batalhas contra o povo germânico invasor.

A Ospa é uma das fundações vinculadas à Secretaria da Cultura do Rio Grande do Sul. Os concertos da temporada 2019 são patrocinados, via Lei Federal de Incentivo à Cultura (LIC), por Panvel, CMPC Celulose Riograndense, Corsan, Banrisul e Grupo Zaffari, com apoio de Ipiranga, Dufrio, Ventos do Sul, Audio Porto, Grupo Renner e Thyssenkrup. A realização é de Ospa, Fundação Cultural Pablo Komlós e Sedac.

Manfredo Schmiedt

É diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul e maestro do Coro Sinfônico da Ospa. Mestre em Regência pela Universidade da Geórgia (EUA) e graduado na mesma área pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, participou de cursos na Alemanha, Holanda, Argentina, Estados Unidos e Brasil. Em virtude do destacado currículo, recebeu as condecorações Pi Kappa Lambda Music Honor Society e Director’s Excellence Award. Atuou, durante quatro anos, como regente assistente do maestro Isaac Karabtchevsky na Ospa.

Mere Oliveira

Premiada em sete competições nacionais e internacionais de canto lírico, no Brasil, Argentina e Uruguai e Peru, o mezzo-soprano Mere Oliveira atuou por mais de trinta récitas no papel título da ópera “Carmen”. Apresentou-se na América Latina e em vários países da Europa, além de atuar como solista em alguns dos principais teatros de ópera do Brasil. É fundadora e diretora artística do Opera Studio do Vale, projeto que já realizou mais de 60 espetáculos operísticos com cantores de todo o Vale do Paraíba.

 

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: