Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Morreu uma das fundadoras das Avós da Praça de Maio

Um deputado indiano foi ao Congresso vestido de Hitler

Deputado é ator e quis protestar. (Foto: Reprodução)

Em forma de protesto, um deputado indiano foi ao Congresso vestido de Hitler. Segundo o parlamentar, que é ator, a fantasia foi uma forma de chamar a atenção para conseguir mais recursos para seu estado, Andhra Pradesh, no sul do país. As atrocidades cometidas pelo ditador nazista são pouco conhecidas na Índia.

Naramalli Sivaprasad, de 67 anos, chegou ao Congresso na quinta-feira usando o típico bigode e uniforme do ditador nazista. O deputado e ator chegou a fazer a saudação nazista para repórteres.

Sua fantasia pareceu não incomodar os colegas políticos, que pareciam bastantes entretidos e tranquilos. Sivaprasad é conhecido por se fantasiar para chamar a atenção para causas políticas. Ele já foi ao Congresso vestido de agricultor, vaqueiro, clérigo muçulmano e mulher.

Ao justificar a fantasia escolhida na quinta-feira, Sivaprasad disse que queria enviar uma mensagem ao primeiro-ministro Narendra Modi para ele não seguir os passos do ditador nazista. “Ele não percebe o que as pessoas querem e quero avisá-lo para não ser como ele [Hitler]”, afirmou.

Em março, a legenda de Sivaprasad, o TDP (Partido Telugu Desam) deixou a coalizão de governo, alegando que Modi desistiu de conceder fundos especiais ao estado de Andhra Pradesh, que é governado pelo TDP.

Hitler continua sendo uma figura de fascínio na Índia, percebido mais como um forte líder do que como um ditador genocida. A história do Holocausto é pouco conhecida no país. As teorias raciais da Alemanha nazista encontraram grande aceitação entre muitos nacionalistas hindus.

O nome e a imagem de Hitler são usados para vender diversos produtos, de sorvetes a roupas. Em março, uma editora incluiu o ditador nazista em sua coleção de livros sobre os grande líderes.

Monções desalojam e causam mortes

Mais da metade dos 14 distritos do estado de Kerala, na Índia, foram colocados em alerta, disseram fontes oficiais neste sábado, enquanto o número de mortes de uma das piores enchentes na região chega a 37 pessoas.

Chuvas torrenciais e deslizamento de terra durante o período de monções na Índia, entre junho e setembro, assolaram fazendas e motivaram evacuações maciças no estado de Kerala.

Plantações em 1.031 hectares foram danificadas, e 37 mil pessoas foram forçadas a se abrigarem em campos de resgate, de acordo com a sala de controle da KSDMA (Autoridade de Administração de Desastres do Estado de Kerala).

Uma fonte oficial disse que oito distritos foram colocados em diferentes níveis de alerta.

Outra fonte governamental afirmou à Reuters que plantações avaliadas em US$ 49,65 milhões, ao redor de 26.824 hectares, foram destruídas pelas chuvas desde que elas começaram, em 29 de maio.

P.H. Kurian, chefe da KSDMA e alto burocrata estatal, afirmou que as chuvas diminuíram.

“Não houve chuva nas áreas de captação dos grandes reservatórios hoje”, disse Kurian. “No entanto, vamos continuar nosso alerta até 15 de agosto.”

O ministro federal do Interior, Rajnath Singh, viajará para o estado, no próximo domingo, para fazer um balanço das operações de alívio e resgate, acrescentou Kurian.

As autoridades estatais de Kerala tomaram a medida sem precedentes de abrirem comportas de 25 reservatórios de água para evitar rompimento de barragens.

O estado, que tem 44 rios, testemunhou as piores enchentes em 1924, depois de chuvas torrenciais.

O departamento de meteorologia prevê chuvas fortes até 15 de agosto, Dia da Independência da Índia, também alertando enchentes em áreas baixas da costa. Pescadores foram aconselhados a não se aventurarem no mar.

Apesar das chuvas, dezenas de milhares de hindus ao redor do estado juntaram-se nas margens dos rios e nas estradas para um ritual em honra de seus antepassados.

Deixe seu comentário: