Últimas Notícias > Capa – Destaques > O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que o partido do governo venceu as eleições em pelo menos 90% das prefeituras disputadas

Saiba como funciona o elevador do futuro, que vai andar para cima e para os lados

Para garantir que tudo funcione dentro do esperado, o Multi conta com vários mecanismos de segurança. (Foto: Thyssenkrupp/Divulgação)

A fabricante de elevadores Thyssenkrupp anunciou a inauguração do primeiro sistema de elevadores sem cabos horizontal-vertical do mundo. Não entendeu o conceito?

O equipamento pode se mover em duas direções: para cima e para baixo (na vertical) e de um lado para outro (na horizontal). O sistema, chamado “MULTI”, oferece várias cabines, operando em loop dentro do sistema.

O conceito “sem cabos” vem da ideia de o elevador dispensar essa estrutura de elevação, funcionando com trilhos, como um sistema de metrô dentro de um prédio. Caso a máquina precise mudar o sentido, pontos específicos das linhas giram em seu próprio eixo, permitindo que ele siga seu curso. O equipamento se move a incríveis 18 metros por segundo e requer menor espaço do que os elevadores convencionais, aumentando a área útil do edifício em até 25%.

Ele conta com um sistema de freio de vários níveis, dados sem fio e gerenciamento de energia em cada uma das cabines.

O passeio inaugural do “MULTI” ocorreu na torre de teste de 246 metros em Rottweil, sede do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Thyssenkrupp na Alemanha. Três eixos foram dedicados a testar o sistema de elevador MULTI sem cabos.

Esse sistema será instalado em breve no novo edifício East Side Tower, em Berlim, também na Alemanha.

A Thyssenkrupp explica que o MULTI funciona como um sistema circular contínuo, algo como um carrossel, fazendo uma comparação grosseira. Como há uma via de subida e outra de descida, pode-se colocar vários elevadores no sistema – na tecnologia atual, o máximo são dois.

Se o elevador não desce pelo mesmo caminho que sobe, como ocorre a troca de via? É aí que entra a locomoção lateral: ao chegar no final do percurso, a cabine é simplesmente deslocada horizontalmente. Este modo também permite que o elevador possa atender a mais de um ponto no mesmo andar.

Com um número maior de cabines e movimentação circular, o tempo de espera e as filas nos andares diminuem. A locomoção também é mais rápida: além de o elevador ter mais velocidade (sem causar desconforto), o usuário não precisa trocar de cabine quando estiver em um prédio bastante alto.

Para garantir que tudo funcione dentro do esperado, o MULTI conta com vários mecanismos de segurança. Equipamentos de frenagem atuam em caso de emergência e há um sistema que para os elevadores quando um fica muito próximo do outro. O uso de materiais mais leves, além de permitir que as cabines funcionem com menos motores, torna a parada mais fácil.

Uma tecnologia como esta faz mais sentido em prédios gigantescos, razão pela qual não deveremos encontrar muitos destes elevadores por aí. A Thyssenkrupp sabe disso, é claro, e pensa no longo prazo: a falta de espaço em grandes centros urbanos motivará cada vez mais projetos de megaconstruções que se beneficiarão de sistemas como este.

Deixe seu comentário: