Últimas Notícias > Esporte > Futebol > Inter > Técnico do Inter foge de perguntas sobre arbitragem no Grenal: “Eu, aqui, tenho que falar sobre futebol”

Um grupo de trabalho com a participação de parlamentares criou um projeto para a contenção de cheias na região gaúcha do Vale do Caí

Equipe conta com a participação do senador Lasier Martins (E) e do deputado estadual Tiago Simon (D). (Foto: Divulgação)

Há pelo menos seis décadas, o Vale do Caí vem sofrendo com uma série de inundações anuais do rio que dá nome a essa região gaúcha, o que acarreta uma série de problemas e prejuízos. De olho nesse panorama desfavorável, um grupo de trabalho foi criado para desenvolver um plano de prevenção às cheias.

A equipe, que conta com a participação do deputado estadual Tiago Simon (MDB) e do senador Lasier Martins (Podemos), visitou a Secretaria de Articulação e Apoio aos Municípios, levando o convite – aceito de imediato – ao titular da pasta, Rodrigo Lorenzoni, para que se unisse à iniciativa.

“Quero poder contribuir com o que for necessário para o andamento dessa ideia que, quando finalizada, trará benefícios para milhares de gaúchos”, frisou o secretário. Durante o encontro, ele conheceu os detalhes de um levantamento realizado em conjunto com a Metroplan (Fundação de Planejamento Metropolitano Regional) e a Secretaria de Obras e Habitação.

Esse estudo prevê a construção de um dique ou de um corta-rio, como forma de minimizar os estragos das cheias do rio Caí, responsáveis por um impacto econômico e social a toda a região.

Lorenzoni ressalta a importância de se dar agilidade ao processo, porque o período de chuvas inicia em junho e se estende até agosto: “Quanto mais rápido conseguirmos viabilizar os recursos, quanto antes os habitantes do Vale do Caí terão resultados e poderão até ficar mais tranquilos nessa época do ano.”

De acordo com o superintendente da Metroplan, Pedro Bisch Neto, a licitação para o início das obras está prevista já para este semestre. Já a execução do projeto – caso seja aprovado – deve começar ainda neste ano. Bisch Neto também alertou que se nenhuma ação concreta for realizada, a região deve amargar perdas de pelo menos R$ 20 bilhões as próximas três décadas.

O grupo de trabalho pretende se encontrar em Brasília, nos próximos dias, com o chefe da Casa Civil, Onix Lorenzoni, e com representantes do Ministério do Desenvolvimento Regional.

“Vamos seguir trabalhando por recursos do governo federal para a elaboração do projeto executivo que apontará as melhores soluções para o velho problema. Isso já foi feito nas bacias dos rios dos Sinos, Gravataí e Jacuí. É hora de fazermos também no rio Caí”, declarou Lasier, que passou a infância e adolescência em Montenegro, onde iniciou a carreira de comunicador.

Também participaram da reunião o prefeito de Pareci Novo, Oregino Francisco, o secretário-adjunto de Obras, Ervino Deon, e a diretora da Secretaria de Obras e Habitação, Kellen de Mattos.

Municípios

Um total de 19 municípios formam o Vale do Caí: Alto Feliz, Barão, Bom Princípio, Brochier, Capela de Santana, Feliz, Harmonia, Linha Nova, Maratá, Montenegro, Pareci Novo, Salvador do Sul, São José do Hortêncio, São José do Sul, São Pedro da Serra, São Sebastião do Caí, São Vendelino, Tupandi e Vale Real.

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: