Últimas Notícias > CAD1 > Líderes empresariais gaúchos reclamam de prejuízos com a cobrança-extra de ICMS

Um homem foi preso com mais de 250 mil dólares escondidos dentro do carro em uma estrada do Rio Grande do Sul

Sem comprovação de origem lícita, dinheiro foi apreendido. (Foto: Divulgação/PRF)

Agentes da PRF (Polícia Rodoviária Federal) prenderam em flagrante o motorista de uma caminhonete Volkswagen Amarok que trafegava em um trecho da rodovia BR-386 no município de Sarandi, região Norte do Rio Grande do Sul. Motivo: o transporte de US$ 252 mil dólares escondidos dentro do painel do veículo.

O homem, um sul-matogrossense de 23 anos, viajava sozinho e foi abordado por levantar suspeitas, segundo a corporação. Ao vistoriarem o carro, com placas de Curitiba, os policiais rodoviários acabaram encontraram o dinheiro norte-americano, distribuído em diversos maços de cédulas, equivalentes a quase R$ 1 milhão pelo câmbio oficial do BC (Banco Central).

Preso e encaminhado para registro de ocorrência na PF (Polícia Federal), o condutor da Amarok não comprovou que o montante tinha origem origem lícita. Ele acabou autuado pelos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro – assim como a Amarok, a quantia foi apreendida.

“Dia D”

Já a Polícia Civil gaúcha deflagrou nessa terça-feira a operação “Dia D”, com foco nos roubos em todo o Estado. Foram presas 84 pessoas (20 delas em flagrante) e apreendido um adolescente. Segundo a corporação, a ofensiva faz parte de uma nova estratégia operacional: o combate a crimes específicos (sobretudo os de maior potencial ofensivo), por meio de ações regionalizadas e simultâneas em todo o Estado.

O alvo da vez foram crimes patrimoniais praticados com violência e com ameaças às vítimas. A operação mobilizou agentes do Interior e Capital, com um efetivo total de 414 agentes e 145 viaturas, cumprindo um total de 150 ordens judiciais de captura, busca e apreensão.

Em São Leopoldo, um casal suspeito de roubo a motorista de aplicativo foi preso, após o reconhecimento pela vítima. Já em Bagé, a captura envolveu um suspeito de assalto com violência a uma propriedade rural de Dom Pedrito. E em Gravataí, as algemas foram para um criminoso que esfaqueado o dono de uma casa para roubar o veículo e aparelhos eletrônicos da vítima.

“Os roubos com uso de arma-de-fogo são um dos crimes mais graves que temos”, destacou a chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor. “A identificação da autoria de delitos patrimoniais e as prisões efetuadas hoje trazem maior segurança e acabam com a certeza da impunidade.”

Em seu site oficial, a Polícia Civil gaúcha detalhou as novas diretrizes de combate ao crime por meio da operação “Dia D”. “Este novo modal concentra a atuação em diversos níveis: estratégico, tático e operacional”, sublinhou o texto. “A investigação preliminar foi desenvolvida com modernas ferramentas de inteligência policial e efetuou o georreferenciamento das áreas com maior incidência dos delitos de roubo.”

Ainda de acordo com a corporação, o mapeamento realizado apontou quais regiões deveriam ser o alvo prioritário da ação repressiva. Os maiores focos são a Região Metropolitana e as maiores cidades gaúchas, mas também houve casos em pequenos municípios, onde ocorreram roubos a bancos.

“As ações previstas incluem o cumprimento de diversos mandados judiciais de prisão, apreensão de menores e busca e apreensão. Os crimes mais coibidos, além dos ataques a agências bancárias, são roubo a pedestre, em ônibus, residências, estabelecimentos comerciais, entre outros”, acrescentou.

(Marcello Campos)