Sábado, 07 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Ciência Um novo anticoncepcional masculino teve sucesso nos primeiros testes

Estudos estão em andamento para confirmar se a nova pílula bloqueia a produção de espermatozoides. (Foto: Reprodução)

Atualmente, os contraceptivos masculinos são limitados apenas a preservativos e à vasectomia, diferente das mulheres que podem escolher diferentes formas para evitar uma gestação. Pensando nisso, pesquisadores da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveram um anticoncepcional masculino, e os primeiros testes clínicos são promissores.

A nova pílula masculina foi nomeada como dimethandrolone undecanoate, ou DMAU. Da mesma forma que os contraceptivos orais femininos, o DMAU apresenta uma combinação de hormônios, para inibir a produção de espermatozoides.

Em apresentação na conferência anual da Sociedade de Endocrinologia dos EUA, realizada em março, os cientistas mostraram dados sobre pesquisa realizada com 100 voluntários, entre 18 e 50 anos, sendo que 83 completaram todas as etapas do experimento.

Para análise, foram testadas três doses diferentes do composto. Os participantes foram divididos em grupos de cinco, que receberam a medicação ou placebos. Eles tomaram as pílulas diariamente, ao longo de 28 dias, junto com a ingestão de alimentos, um requisito para a eficácia da substância.

Quando testados com a maior dose, de 400 miligramas, os resultados indicaram níveis baixos de todos os hormônios necessários para a produção de esperma. Os baixos níveis de testosterona podem levar à perda de desejo sexual e à fadiga, porém poucos voluntários apresentaram estes efeitos.

No entanto, todos os homens que tomaram o medicamento ganharam peso e registraram queda dos níveis de HDL, o colesterol bom. Porém, os pesquisadores acreditam que esses efeitos não são motivo para preocupação, já que as funções dos rins e do fígado se mantiveram normais.

“Apesar de terem níveis baixos de testosterona circulando [no sangue], pouquíssimos participantes relataram sintomas de deficiência ou excesso do hormônio”, explicaram os autores do estudo em um pronunciamento.

Novas análises mais complexas serão necessárias para verificar se existem efeitos indesejados de médio e longo prazo – e, principalmente, quanto tempo a fertilidade leva para ser restaurada plenamente com a interrupção do tratamento.

“O DMAU é um grande passo em frente no desenvolvimento de uma ‘pílula masculina’ tomada uma vez por dia”, disse a professora de medicina da Universidade de Washington Stephanie Page. “Muitos homens dizem que preferem uma pílula diária como contraceptivo reversível, em vez de injeções de ação prolongada ou géis tópicos, que também estão em desenvolvimento”, afirmou.

“Estes resultados promissores são sem precedentes no desenvolvimento de um protótipo de pílula masculina”, declarou Page. “Estudos a longo prazo estão em andamento para confirmar se o DMAU tomado todos os dias bloqueia a produção de espermatozoides”, disse.

Todas de Ciência

Compartilhe esta notícia:

Um em cada quatro clientes de cartão de crédito no País entrou no rotativo em fevereiro
Ministros do Supremo mantêm silêncio sobre as duras críticas feitas pelo colega Gilmar Mendes
Deixe seu comentário
Pode te interessar