Últimas Notícias > Colunistas > Fatos históricos do dia 14 de dezembro

Um novo teste permite detectar câncer em 10 minutos

Estudo utilizou amostras de células de 200 pacientes. (Foto: Reprodução)

Pesquisadores australianos desenvolveram um teste experimental que, caso seja bem-sucedido em estudos futuros, poderá ser o primeiro exame a detectar de forma simples qualquer tipo de câncer atualmente descrito pela Medicina. O teste permite detectar a doença em 10 minutos.

O estudo, conduzido por cientistas da Universidade de Queensland, e publicado ontem na revista científica Nature Communications, utilizou amostras de células de 200 pacientes com os mais diferentes tipos de tumor e verificou que certas expressões do DNA são diferentes entre células cancerígenas e células saudáveis.

Por meio de experimentos em que as células foram dissolvidas em uma solução aquosa e também testadas quanto à afinidade com ouro, os pesquisadores australianos observaram que as células de todos os tipos de câncer tinham o mesmo comportamento nesses experimentos.

Amostra simples

Assim, os cientistas descobriram que, com uma simples amostra de sangue, é possível testar as células e descobrir, em apenas 10 minutos, se há essa alteração no DNA que indica a presença de células cancerígenas no organismo. De acordo com os pesquisadores, o teste teve precisão de 89%, ou seja, acertou a presença de células cancerígenas em 89 de cada 100 casos.

Os cientistas destacam, no entanto, que, embora o teste seja capaz de diagnosticar qualquer célula cancerígena, ele não indica qual é o tipo de tumor nem a gravidade.

Avanço

Segundo o médico Tulio Pfiffer, oncologista clínico do Hospital Sírio-Libanês, embora ainda em fase de estudos, o teste representaria grande avanço na detecção precoce de tumores. “Hoje até temos exames que identificam proteínas classificadas como marcadores tumorais, mas esses marcadores são imprecisos e existem apenas em alguns tipos de tumores”, diz o especialista.

A pesquisa dos cientistas australianos, explica Pfiffer, cria uma nova abordagem na detecção de células cancerígenas. “Hoje, com as biópsias, buscamos alterações na biologia do DNA. Com esse teste, que é muito mais simples, estaremos olhando para aspectos físico-químicos do DNA alterado pelo tumor, como o simples fato dele se agregar ou não à moléculas de água ou barras de ouro”, destaca o médico.

Alimentos orgânicos  

As pessoas que compram alimentos orgânicos em geral estão convencidas de que são melhores para a sua saúde, e estão dispostas a pagar por isto. Mas o que falta são as evidências. Agora, um estudo realizado na França com 70 mil adultos, a maioria deles mulheres, durante cinco anos, relatou que os consumidores mais frequentes de alimentos orgânicos apresentam em geral 25% menos casos de câncer do que os que nunca comeram este tipo de produtos. Os que mais os consumiram, apresentaram uma queda acentuada da incidência de linfomas, e uma redução significativa de câncer de mama pós-menopausa.

“Nós esperávamos constatar uma redução, mas as dimensões encontradas são muito importantes”, disse Julia Baudry, principal autora do estudo e pesquisadora do Centro de Pesquisa em Epidemiologia e Estatística na Sorbonne, Paris Cité. Ela observou que o estudo sugere “que uma dieta baseada em produtos orgânicos pode contribuir para a redução do risco de câncer”.

Deixe seu comentário: