Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Nova fase da Operação Lava-Jato mira multinacional e bloqueia quase R$ 2 bilhões dos investigados

Uma bomba matou turistas que estavam em um ônibus perto das pirâmides no Egito

Turistas mortos no ônibus eram vietnamitas. (Foto: Reprodução)

Uma bomba atingiu um ônibus turístico e matou dois turistas vietnamitas nesta sexta-feira (28) nos arredores do Cairo, capital do Egito. A explosão aconteceu perto das pirâmides de Gizé, para onde o veículo estava se dirigindo, de acordo com a Associated Press.

A emissora egípcia de TV AlGhad diz que o Ministério do Interior informou que há 12 feridos, sendo dez turistas, o motorista e um funcionário de uma companhia turística, os dois últimos egípcios.

O ônibus transportava 14 turistas vietnamitas e dois deles não sofreram ferimentos.

O explosivo é de fabricação caseira e estava escondido atrás de um muro na rua Mariyutiya, no distrito de Hara, segundo autoridades, mas ainda não se sabe sua origem. O dispositivo foi detonado às 18h15 locais (14h15 em Brasília).

Ataques

Esta foi a primeira ação com explosivos contra turistas registrada no Egito desde o atentado em um avião russo no fim de 2015. A aeronave caiu na Península do Sinai, no nordeste do país, depois de explodir no ar, matando todas as 224 pessoas a bordo.

São frequentes os atentados contra as forças de segurança do Egito e, nos últimos dois anos, vários ataques contra civis, especialmente da minoria copta cristã, foram registrados.

O país está em estado de emergência desde abril de 2017 após uma série de atentados contra igrejas no país.

O turismo vem se recuperando no país após anos de retrocesso devido às turbulências políticas e à violência que se seguiram ao levante que derrubou o governo do ditador Hosni Mubarak, em 2011.

É provável que as autoridades aumentem a segurança em torno de igrejas às vésperas do Ano novo e das celebrações do Natal pela Igreja Copta, no mês que vem. A maioria dos 10 milhões de cristãos do Egito é de coptas.

Egito investiga casal que aparece em vídeo escalando Pirâmide de Quéops

As autoridades egípcias divulgaram no início do mês a investigação um vídeo que mostra um casal escalando a Pirâmide de Queóps, a maior da Necrópole de Gizé. As imagens foram postadas pelo fotógrafo dinamarquês Andreas Hvid, que afirma ser o homem que aparece.

Ele disse que já havia tentado subir na pirâmide antes, com outra acompanhante, mas que foi impedido ao ser flagrado por seguranças. Ele então entrou em contato com amigos na Dinamarca e outra mulher – que não foi identificada e aparece com o rosto borrado nas imagens – se dispôs a tentar.

As imagens foram gravadas no final de novembro, segundo o fotógrafo, que disse ao jornal dinamarquês “Ekstra Bladet” estar atualmente na Ásia. Ele afirma ainda que não pretende retornar ao Egito.

Aumentando a polêmica, a mulher tira a blusa nas cenas finais do vídeo. A CNN diz que o casal aparecia seminu se abraçando, mas as imagens atualmente disponíveis mostram apenas a mulher de costas, usando um sutiã da cor de sua pele.

Ainda de acordo com a emissora de TV, o ministro das Antiguidades do Egito, Khaled al-Anani, chamou a ação de violação da moralidade pública e disse que o incidente e o vídeo seriam investigados pelo procurador-geral.

Ashraf Mohi, diretor-geral do Planalto de Gizé, disse ao site Ahram Online acreditar que o vídeo é falso, já que há uma cerca de 18 kms ao redor das pirâmides, juntamente com uma forte presença de seguranças.