Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Polícia apreende armas e drogas em Barão do Triunfo

Uma companhia aérea dos Estados Unidos autorizou o pagamento de gorjeta individual em voos

A moeda norte-americana subiu 2,27%, vendida a R$ 3,9548. (Foto: Reprodução)

Em viagens, é comum dar gorjetas para atendentes em hotéis, garçons, manobristas e outros profissionais. E, há alguns anos, essa opção chegou às empresas aéreas, para desgosto dos passageiros que se lembram de quando a maior parte da comida e da bebida nas alturas era grátis.

A Frontier Airlines, pioneira em gorjetas para comissários de bordo, dividia entre todos eles as gorjetas de cada voo, até agora. Mas a partir deste mês os 2.200 comissários de bordo da Frontier não dividirão mais suas gratificações. Agora, é cada um por si — e talvez o beneficiário seja o passageiro importunado, que terá a opção de pagar ou não.

“Apreciamos o excelente trabalho dos nossos comissários de bordo e sabemos que os nossos clientes também, então a máquina de pagamento dá aos passageiros a opção de dar gorjetas”, diz o porta-voz da Frontier, Jonathan Freed. “Fica totalmente a critério do cliente, e muitos dão.”

Na verdade, também fica a critério do comissário de bordo: na Frontier, eles podem optar por acionar a opção de gorjeta. O novo sistema de pagamento por tablet da Frontier permite, no entanto, que os comissários de bordo pulem a tela de gorjeta quando um cliente paga.

A empresa aérea afirmou que não registra a frequência com que os comissários de bordo solicitam gorjetas por meio dos tablets. A Frontier preferiu não divulgar detalhes sobre quanto entrega mensalmente em gorjetas, mas Freed disse que os comissários de bordo ganharam “milhões de dólares” em gorjetas nos últimos três anos. (O sindicato não contestou essa estimativa.)

A Frontier, com sede em Denver, parece estar na “vanguarda da gorjeta”. Duas outras aéreas americanas de ultra baixo custo, a Spirit Airlines e a Allegiant Travel, não incluem gorjetas em seus sistemas de pagamento do cliente. A Allegiant também tem uma política contra gorjetas.

‘Parece um restaurante’

“Eu acho que isso parece um restaurante e, francamente, essa não é uma imagem que as empresas aéreas querem ter”, disse Henry Harteveldt, passageiro frequente e fundador do Atmosphere Research Group, que analisa o setor de viagens. Ele afirma que a nova política pode fazer com que alguns comissários de bordo ganhem menos que os colegas e também pode afetar o nível de atendimento a bordo, dadas as possíveis diferenças entre quem dá gorjetas generosas e os outros. “Isso pode realmente complicar o serviço da Frontier.”

A Association of Flight Attendants, que representa os funcionários da Frontier, se opôs à introdução de gorjetas em 2016. “A administração avançou com uma opção de gorjeta para os passageiros na esperança de dissuadir os comissários de se unirem para obter um contrato justo — e em uma tentativa de repassar os custos adicionais para os passageiros”, disse a presidente da AFA, Sara Nelson, em um e-mail.

 

Deixe seu comentário: