Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Lula diz que não sabe do que é acusado, volta a falar em farsa e a audiência do sítio fica tensa

Uma deputada mexicana recebeu a notícia do assassinato da filha durante uma sessão na Câmara

Deputada teve colapso nervoso após receber a notícia. (Foto: Reprodução)

A Câmara dos Deputados do México suspendeu sua sessão, na quinta-feira (8), minutos depois que a parlamentar Carmen Medel soube por telefone o assassinato de sua filha, Valeria Cruz Medel, 22, em Ciudad Mendoza, no Estado de Veracruz.

Segundo jornais locais, um homem armado entrou em um ginásio e abriu fogo contra Valeria Cruz. O ataque teria acontecido a poucos metros da presidência do município. O corpo da estudante de medicina da Universidade Veracruzana de 22 anos, foi encontrado entre os pesos e equipamentos de treino. Veracruz já superou a marca de mil homicídios este ano.

Depois de receber o telefonema, a deputada Medel, do Movimento Nacional de Regeneração (Morena), sofreu um colapso nervoso. Começou a gritar de raiva e bateu nos assentos vizinhos, o que levou o presidente da Câmara a pedir um recesso e a solicitar a atenção dos serviços de emergência.

A interrupção viralizou, o que permitiu a muitos mexicanos verem a tragédia que dezenas de cidadãos anônimos vivem em um país que já ultrapassou a marca de 22 mil homicídios neste ano.

Porfírio Muñoz Ledo, presidente da Câmara dos Deputados, encerrou a sessão minutos depois.

“Não posso deixar passar este momento sem sublinhar o estado grave da nação, a vulnerabilidade das famílias e, acima de tudo, a impunidade. Que neste caso não aconteça” disse ele.

O trabalho legislativo será retomado na terça-feira, 13 de novembro.

“Cidadãs e cidadãos legisladores, é com profunda pena que participamos o assassinato da filha da nossa companheira deputada Carmen Medel, do distrito 14 do estado de Veracruz.Valeria foi hoje vítima do estado de violência em que os mexicanos vivem”, informou o deputado Pablo Gómez, também do partido Morena.

“Hoje encaramos a tragédia de uma forma muito mais direta, com um membro desta assembleia. Todos estamos sujeitos a esta crise de violência no nosso país e todos juntos, como legislatura, devemos responder. Temos de erradicar a violência do México”, acrescentou.

A filha da deputada, Valeria Medel, de 22 anos, foi morta a tiros dentro de um ginásio em Ciudad Mendoza, no Etado de Veracruz, enquanto estava a treinar, alegadamente confundida com outra mulher que seria o alvo do ataque encomendado.

Um homem presumivelmente envolvido no assassinato de Valeria foi entretanto encontrado morto, anunciou o governador de Veracruz, Miguel Ángel Yunes Linares.

O ano de 2018 tem sido o ano mais violento da história recente do México. Segundo dados da organização Semáforo Delictivo, o país registou mais de 21 mil homicídios até ao final de setembro, um aumento de 18% em relação ao ano anterior.

Deixe seu comentário: