Últimas Notícias > CAD1 > Jogando fora de casa, o Inter enfrenta nesta quarta-feira o Bahia com o desafio de manter no segundo turno do Brasileirão a boa campanha colorada

Uma exposição fotográfica que aborda as medidas socioeducativas integra a programação da Semana da Juventude

Andar térreo do Foro Central vai abrigar a mostra até o dia 17. (Foto: Divulgação/PMPA)

Com o objetivo de mostrar à população de Porto Alegre o trabalho realizado com os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas em meio aberto, a Fasc (Fundação de Assistência Social e Cidadania) e a Ajuris (Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul) promovem a partir desta segunda-feira (13), a exposição de fotos dos Serviços de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, a partir das 10h, no saguão do andar térreo do Foro Central de Porto Alegre, no prédio I (rua Márcio Luiz Veras Vidor, 10 – Praia de Belas). Aberta ao público e gratuita, a exposição integra a Semana de um Olhar para a Juventude de Porto Alegre e se encerra no dia 17.

Cerca de 200 imagens clicadas pelos adolescentes atendidos, por trabalhadores do serviço e depoimentos que resultaram da diversidade de temas e trabalhos – violência, protagonismo, política, cidadania, saúde, sexualidade, entre outros – desenvolvidos semanalmente com os jovens nos CREAS (Centros de Referência Especializados de Assistência Social) – serviços da Fasc, serão expostos durante cinco dias. Mais de 100 jovens dos serviços participaram das atividades.

De acordo com a psicóloga da Fasc, Fernanda Lüdke Nardi, o objetivo das atividades é gerar reflexão e cidadania, discussão acerca do mercado de trabalho e ações que garantam o protagonismo dos adolescentes. “Além disso, visam construir, com os adolescentes, a conscientização do seu erro promovendo a reposição de valores humanistas e éticos na sociedade. A assistência social, enquanto política pública visa a retomada e o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários proporcionando alternativas de futuro desses jovens”, explica.

Semana de Um Olhar para a Juventude de Porto Alegre

De sábado (11) até o próximo domingo (19) a semana apresentará atividades em várias regiões da Capital, que serão realizadas por cerca de 70 organizações da sociedade civil e públicas, com oferta de serviços federais, estaduais e municipais. O evento é organizado pela prefeitura, por meio da Coordenadoria da Juventude da SMDSE (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte), em parceria com a Rede Juventudes de Porto Alegre.

25º Porto Alegre Em Cena

A programação da 25ª edição do Porto Alegre Em Cena foi lançada na última semana no Centro Municipal de Cultura, Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues. O festival, que propõe uma reflexão sobre o Brasil, reúne grupos e espetáculos locais, nacionais e internacionais, entre os dias 11 e 23 de setembro. Diferentes palcos da cidade vão receber 49 espetáculos de dança, teatro e música, além de atividades paralelas e formativas.

O tema geral do Em Cena será o Brasil, contemplando questões históricas, étnicas e culturais. “Queremos discutir o Brasil de forma abrangente. Isso envolve a África, a Europa, a América, o interior do Brasil, os índios, o território, a democracia e a história. Queremos discutir território, imigração, enfim, essa formação de Brasil, de quem somos nós”, explica o coordenador-geral do festival, Fernando Zugno.

O coordenador-geral observa que essa reflexão é evidente nos espetáculos nacionais programados, como Grande Sertão: Veredas e A tragédia e comédia latino-americana (dos diretores Bia Lessa e Felipe Hirsch, respectivamente), mas também está presente nas atrações internacionais – como a montagem chilena 40 mil kms, que aborda a questão da imigração, e a performance interativa Home Visit: Brasil em Casa, do grupo alemão Rimini Protokoll, que discute aspectos da identidade cultural brasileira.

Mais do que as encenações, o Porto Alegre Em Cena também terá ênfase em atividades formativas, como debates, residências, aulas e oficinas. “A ideia é dar protagonismo para as discussões e debates, inclusive transcendendo os temas das peças. Queremos criar assuntos. Teremos, por exemplo, uma mesa sobre fake news, assunto pungente nestes dias”, afirma Zugno.

Deixe seu comentário: