Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Novo código de ética médica começa a valer na próxima terça, medida foi definida hoje

Uma oficina de fotografia na Casa de Cultura Mario Quintana ensina como fazer boas imagens com a câmera do celular

Atividade teórico-prática será realizada neste sábado, das 13h às 19h. (Foto: Divulgação/Rennan Mager)

Um das formas mais populares de produção e divulgação de imagens deste século 21, a fotografia digital com smartphones e similares é o tema de um item especial na programação da Casa de Cultura Mario Quintana, no Centro Histórico de Porto Alegre: a “Oficina de Fotografia com Celular”.

A atividade será realizada das 13h às 19h deste sábado pelo professor e publicitário Rennan Mager, de larga atuação na área. Com vagas limitadas, as inscrições podem ser feitas pelo telefone (51) 9962-71301 ou e-mail rennanmager@hotmail.com. Não são exigidos pré-requisitos.

“A proposta é familiarizar o participante aos principais aspectos dessa modalidade, fazendo do limão uma grande limonada ao permitir fotos melhores mesmo com equipamentos relativamente limitados em comparação às câmeras tradicionais”, ressalta Mager em entrevista ao jornal “O Sul”.

Dentre os tópicos abordados estão luz e sombra, contraste, conceitos básicos de composição, foco e desfoque, ajustes manuais, tratamento básico de imagens, efeitos e impressão: “Uma das ideias é mostrar que tudo o que vale pra uma câmera digital ou mesmo ‘de filme’ também vale para esses dispositivos menores”.

Ainda segundo ele, a essência técnica da fotografia é absolutamente a mesma desde o século 19, ou seja, a captura da imagem com base no controle da luz por uma tripla combinação de ajustes: abertura de diafragma, tempo de exposição e sensibilidade do filme ou sensor digital.

“A grande questão é que alguns aparelhos permitem fazer esses ajustes de forma manual, enquanto outros somente o fazem de forma automatizada”, observa. “É a interação desses três princípios que permite a obtenção de uma boa imagem, mesmo que nos celulares sem a possibilidade de recursos fotográficos manuais.”

Ainda sobre a oficina, ele chama a atenção para o estímulo dos participantes no que se refere à composição fotográfica. São questões de forma, conteúdo e subjetividade do olhar, em busca do desenvolvimento de uma linguagem autoral – um dos grandes desafios no campo das artes.

Currículo

Publicitário formado pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), onde foi professor convidado em 2014-2016, Rennan Mager atua em fotografia desde 2007. Ele colaborou no desenvolvimento e reformulação de cursos de extensão e materiais didático-pedagógicos da instituição, além de ministrar cursos e workshops.

Embora a produção digital seja a especialidade deste profissional, ele também domina os processos químicos tradicionais de captação analógica da imagem, bem como as interações entre ambas as tecnologias (como a revelação eletrônica de antigos filmes em acetato). Trata-se de outra área que, embora tenha se retraído nos últimos anos, ainda conta com grande número de adeptos.

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: