Últimas Notícias > Notícias > A “Primavera dos Museus” agita a programação cultural de Porto Alegre nesta semana

Uma substância presente no chocolate causa intoxicação em cachorros

As substâncias metilxantinas (teobromina e cafeína) estão presentes no chocolate e causam envenenamento no animal. (Foto: Reprodução)

A Páscoa chegou e, com ela, os ovos de chocolate. A veterinária Patricia Flôr explica que é importante deixar o doce longe dos cachorros: as substâncias metilxantinas (teobromina e cafeína) estão presentes e causam envenenamento no animal.

Segundo Flôr, os chocolates brasileiros têm menor quantidade. Os importados costumam ter mais e uma pequena porção pode causar uma intoxicação forte. A dose tóxica para cães é em torno de 100 mg a 150 mg por kg de peso; a dose letal fica entre 250 mg a 500 mg por kg de peso.

A médica diz, ainda, que os gatos não são tão atraídos pelo sabor quanto os cachorros, mas, se ingerirem, o problema é o mesmo. A recomendação, portanto, é não dar chocolate para os pets.

“O maior problema em relação ao chocolate é que geralmente os cães adoram o sabor e os tutores acabam cedendo e dando. Ou, então, eles roubam mesmo em casa”, disse.

Sintomas

Os donos de pets precisam saber que outros alimentos também causam problemas: cebola, café, semente de maçã, alguns chás (como o preto). Se acontecer, os sintomas são os seguintes: vômito, diarreia, pancreatite, desidratação e tontura.

O que fazer

O doce amado por pessoas também atrai o paladar dos cachorros. Mas é preciso resistir à carinha pidona deles e garantir que o alimento fique bem guardado para impedir que eles roubem um pedaço e passem mal depois.

Foi o que aconteceu com o cachorrinho Pipo, há cerca de dois anos. O autônomo Rusten Santos conta que o alimentava apenas com ração, mas um dia sem querer o pet aproveitou um momento de descuido do dono e comeu um pedaço de chocolate.

“Ele passou muito mal, vivi um aperto. Ficou babando, teve diarreia, não quis se alimentar. Corri na farmácia e comprei soro reidratante e deixei em observação. Nas primeiras 24 horas ele ficou bem fraquinho, Pipo só ficou bom mesmo na noite do dia seguinte”, relembra o dono.

O veterinário Vinícius Tolentino afirma que casos como este são muito comuns nessa época do ano e alerta para os riscos.

“Muitas vezes acontece sem querer, outras vezes os donos dão um pedacinho porque não sabem que vai fazer mal para o cachorro. Mas isso pode até matar, devido à intolerância do cachorro a uma substância do chocolate. O grau da reação varia individualmente, dependendo da sensibilidade de cada animal”, explica o especialista.

Segundo ele, o pet pode apresentar diarreia e vômito em até duas horas depois de comer chocolate. O mais recomendado é levar imediatamente ao veterinário, para identificar o procedimento mais adequado para lidar com a intoxicação.

“O tratamento pode ser feito com soro na veia, com lavagem intestinal ou uso de carvão ativado, um mineral no qual a toxica fica grudada e depois é eliminada nas fezes. Mas para identificar qual melhor tratamento é preciso que o veterinário examine o animal”, ressalta Vinícius.

Depois do susto, Rusten Santos ficou ainda mais cuidadoso com seus animais. Atualmente ele tem três cachorros e toma todas as precauções para que nenhum deles seja intoxicado: “O Pipo morreu depois de um tempo por outro motivo, mas ficou a lição depois daquele susto. Até biscoito que tenha chocolate eu deixo bem guardado para que não aconteça nada semelhante outra vez”.

E para aqueles que não conseguem resistir à carinha dos pets pedindo um pedacinho do chocolate, o veterinário Vinicius Tolentino aponta que existem produtos especializados no mercado voltado para animais. “Se for produto especialmente fabricado para cachorro, não há problema, pois tem a aparência e odor de chocolate, mas é fabricado de modo a não afetar a saúde do animal”, conclui.

Deixe seu comentário: