Home > CAD1 > O desejo de independência da Catalunha talvez tenha sido a primeira vítima colateral do atentado de Barcelona

Vídeo: Torcida do Porto canta: “Quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica”

Torcedores "perderam a mão" na provocação ao rival. (Foto: Reprodução)

A “Super Dragões”, torcida organizada do Porto, usou a trágica queda do avião da Chapecoense, que causou a morte de 71 pessoas, como forma de debochar do adversário Benfica.

Em partida de handebol, a organizada gritou “Quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica”.

A torcida portuguesa do Porto cantou quando os adversários estavam à frente do placar. Depois, o Porto passou à frente e, de acordo com o portal português “Record.pt”, os cantos pararam.

Tragédia

O avião da LaMia que transportava jogadores e comissão técnica da Chapecoense, além de jornalistas, caiu no dia 29 de novembro do ano passado. Os passageiros seguiam em direção a Medellín, na Colômbia, para disputar a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. O avião decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e caiu a poucos metros da cidade colombiana.

Seis pessoas sobreviveram ao acidente. Os jogadores Alan Ruschel, Neto e Jackson Follmann, e o jornalista Rafael Henzel. Além deles, dois tripulantes da LaMia também sobreviveram.

A queda causou uma comoção tanto no Brasil como na Colômbia. No dia do acidente, a hashtag #somostodoschape, em solidariedade às vítimas e suas famílias, foi tendência mundial.

Os colombianos se comoveram e lotaram o Estádio Atanasio Girardot, casa do Atlético, no dia em que a final da Sul-Americana ocorreria, para apoiar o clube de Santa Catarina.

 

Comentários