Home > Atividades Empresariais > Mundial de karaokê terá quarta seletiva em Porto Alegre

Vitor Augusto Kock participa do Pampa Debates

Paulo Sérgio Pinto e Vitor Kock.

“Quando um país não tem poupança, a sinalização de que as coisas estão ruins é evidente”. Este é o pensamento de uma das lideranças gaúchas, Vitor Augusto Kock, presidente da FCDL. Ele participa hoje do programa Pampa Debates, da Rede Pampa, sob o comando de Paulo Sérgio Pinto, que entrevista neste final de ano nomes de peso do cenário gaúcho nas áreas pública e privada.

Kock defende a importância de processos de gestão para um empreendedorismo de sucesso, o que vale para órgãos públicos, empresas privadas e até para indivíduos. Ele aponta a falta de incentivo à poupança com uma população endividada, juros altos e difícil acesso ao crédito, o que faz com que “o ciclo produtivo não se complete”.

Mesmo diante deste cenário, ele mantém otimismo e aponta como um dos sinais de recuperação da economia a redução das taxas de juros, pois acredita que com juros menores, o comércio se tornará mais vendedor e os negócios irão prosperar. “Ser empreendedor neste país significa alto risco”.

Na visão de Kock é necessário que o governo ajuste suas contas para que possa gerar investimentos e com isso projetar a retomada, gerando empregos e movimentando a economia. “Falo de uma economia próspera, equilibrada, porque nunca chegaremos ao pleno emprego”.

Ele revela que nos últimos dois anos, cerca de 2.500 empresas fecharam suas portas. “É preciso entendimento de que o empreendedorismo precisa ser fomentado”. Koch considera que recursos do governo federal destinados à educação, na ordem de 6% do orçamento, seriam suficientes, se fossem bem administrados. “Não são números ruins, mas são aplicados erroneamente. A metodologia precisa ser revista”, por isso mesmo ele é um defensor dos processos de gestão profissional.

Projetando este posicionamento para o setor do comércio ele crê que uma equipe qualificada, comprometida, faz a diferença. O comércio vive de lucratividade “mas precisa ser bem planejado”. Mais do que nunca Kock acredita no potencial das lojas de ruas uma vez que os shoppings foram “vorazes, exigindo dos empreendedores até mesmo o 14º salário”. Ele aposta na expansão dos centros de compras a céu aberto, com ofertas de outlets e conveniências, “uma tendência que chegará ao RS com muita força”.

O Pampa Debates com  Paulo Sérgio Pinto e Vitor Kock vai ao ar nesta quinta-feira (22), às 17h45.

Comentários