Sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Acontece Importância do Polo Carboquímico para economia gaúcha é tema do MenuPoa promovido pela ACPA, no próximo dia 01

Compartilhe esta notícia:

“A importância do Polo Carboquímico no RS” será o tema da palestra do diretor de Novos Negócios da Copelmi Mineração, Roberto da Rocha Faria, nesta terça-feira, 1º/10, na reunião-almoço MenuPoa, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre. (Foto: divulgação)

“A importância do Polo Carboquímico no RS” será o tema da palestra do diretor de Novos Negócios da Copelmi Mineração, Roberto da Rocha Faria, nesta terça-feira, 1º/10, na reunião-almoço MenuPoa, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre. O evento acontece, às 12h, no Salão Nobre do Palácio do Comércio, Centro Histórico, sob coordenação do presidente da ACPA, Paulo Afonso Pereira.

O Polo Carboquímico do Rio Grande do Sul foi instituído por lei em 2017, no governo Sartori, para estimular a produção de Gás Natural Sintético (GNS) a partir do carvão mineral, cujas reservas no Estado chegam a 32 bilhões de toneladas. O objetivo é reduzir a dependência externa de insumos para a agropecuária e a indústria. A partir do carvão é possível gerar amônia, ureia e o sulfato de amônia, usados nos fertilizantes que o Brasil importa. O ponto de partida desse polo é a mina Guaíba, da Copelmi, no baixo Jacuí, entre Eldorado do Sul e Charqueadas.

Desde 2014, a Copelmi espera o licenciamento que está sendo analisado pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). Do ponto de vista do desenvolvimento, é um empreendimento muito importante para o Estado, porque a mineração e a atividade carboquímica pode ampliar o PIB do Rio Grande do Sul em 4,5% ao longo de 20 anos.

O projeto prevê a implantação de uma planta de gaseificação de carvão mineral. O investimento é estimado em torno de US$ 5 bilhões, gerando quatro mil empregos diretos durante a fase da implantação, mil empregos diretos na mina durante a fase de operação e 182 empregos diretos na planta. A produção estimada é de dois milhões de metros cúbicos por dia de gás natural sintético nos municípios de Eldorado do Sul e Charqueadas.

A Copelmi há mais de meio século trabalha no desenvolvimento dos setores de energia e mineração do Brasil. Faria tem mais de 20 anos de experiência no desenvolvimento e implantação de projeto de geração de energia, mineração e óleo e gás.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Segunda edição do Sebrae Start está com as inscrições abertas. Interessados têm até o dia 13/10 para se candidatar
Ferramenta para cartões de crédito do app Banrisul Digital está entre as melhores do mercado
Deixe seu comentário
Pode te interessar