Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Senadores propuseram 78 emendas para tentar mudar o texto da reforma da Previdência antes da votação em 1º turno

Assuma o seu direito de escolha

(Foto: Reprodução de internet)

Se você não cria o seu futuro, alguém vai criá-lo para você, e talvez de uma forma que você não goste. Portanto, é melhor que você o faça.  Para tanto, vamos partir do seguinte: o passado é conhecido, mas imutável; o futuro é desconhecido, mas mutável. Logo, a grande possibilidade que temos para criar o futuro que queremos ter é criando memórias do futuro, do mesmo modo que temos memórias do passado.

Entender isso não é tão difícil quanto parece. Basta aprender como o cérebro codifica experiências e como codifica tempo. Ou seja, como o cérebro sabe que ontem foi ontem, que hoje é hoje e que amanhã ainda não chegou.

Vamos falar de transcendência

Transcender é superar, é começar de novo. Não importa o que tenha acontecido na sua infância ou no seu passado, você sempre pode transcender. Como animais linguísticos que somos, nós, seres humanos, temos essa capacidade de transcender. Para isso, é preciso escolher.

Escolha

Você tem de saber escolher. Geralmente, as pessoas escolhem, não de acordo com aquilo que querem, mas com o que pensam que é possível.  Para ficar mais fácil pensar a respeito, veja este exemplo: Uma menina de 7 anos de idade pede uma boneca de presente de aniversário para o pai e, no dia do aniversário, ela ganha outro presente, mas não a boneca que pediu. Ela insiste e pede a mesma boneca de presente de Natal, mas chega o Natal e ela acaba ganhando outro presente… E essa situação se repete mais algumas vezes até que a menina conclui o seguinte: – Na vida, a gente não pede o que quer, mas o que é possível.

Esqueça-se do que é possível e concentre-se naquilo que você realmente quer. E, para você saber o que realmente quer, você tem de fazer escolhas.

– Escolhas primárias

Se eu escolho tonificar meus músculos, essa é uma escolha primária.

– Escolhas secundárias

São as escolhas que se seguem a uma escolha primária. No caso do exemplo utilizado, a escolha de tonificar os músculos implica levantar mais cedo, ir à academia, fazer mus­cu­lação, alterar a alimentação, etc. São as escolhas secundárias. Quando eu faço uma escolha, na realidade estou fazendo várias outras escolhas.

– Escolhas fundamentais

Ser a força criadora da minha própria vida.
Essa escolha significa que tudo o que acontece de bom ou de ruim na sua vida, é responsabilidade sua. Preste bem atenção a essa palavra: responsabilidade = habilidade de resposta. Quanto maior a sua habilidade de resposta, mais poder você vai ter nesse mundo.
Ser sadio – física, mental, emocional e espiritualmente.

Se você escolhe ser sadio, você está escolhendo ter energia para fazer o que quer na vida. No momento em que você muda a sua mente e escolhe ser sadio, as doenças não conseguem mais perma­necer num corpo sadio, vão embora.

Ser li­vre

Isso significa que você é livre. O que os outros pensam a seu respeito não é problema seu, é problema deles. Você não tem controle sobre o pensamento dos outros. Você não vai conseguir agradar a todo mundo. Nem Jesus Cristo conseguiu!

Ser sincero comigo mesmo

Toda vez que você diz sim querendo dizer não, morre um pedacinho de você.
Saber fazer boas escolhas é a primeira coisa que você precisa para criar o seu futuro. Quem define o seu destino é você. E não se preocupe em decifrar quem você é, pois os filósofos gastaram muitos neurônios tentando encontrar respostas para essa questão e não conseguiram. Dirija a sua vida, sem perder tempo tentando justificá-la. A vida é uma dádiva, um presente, a que você retribui fazendo as coisas não por obrigação – mas por escolha.

Deixe seu comentário: