Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Há quatro meses, Eduardo Bolsonaro insinuou que PT levava droga em voos oficiais

Bolsonaro chega a Israel no domingo

Bolsonaro negociará acordos na área comercial, em ciência e tecnologia, segurança pública e defesa. (Foto: Isac Nóbrega/PR)

Antes que março termine, o presidente Jair Bolsonaro – que esteve nos Estados Unidos e no Chile nos últimos dias – ainda tem pela frente uma viagem a Israel, onde desembarcará no domingo (31). A intensa agenda internacional cumprida ao longo deste mês reuniu, em um curto intervalo, destinos que já vinham sendo sinalizados, desde a campanha eleitoral, como prioritários para o governo.

Em Israel, Bolsonaro retribuirá a presença do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu na sua posse, mas, principalmente, buscará negociar, ao lado do chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, e de outros integrantes do primeiro escalão do governo a ampliação de trocas na área comercial, em ciência e tecnologia e na cooperação em segurança pública e defesa.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, esteve no país do Oriente Médio no início do ano para conhecer projetos de inovação e tecnologias estratégicas que despertam interesse brasileiro como as instalações de dessalinização de água. Por mais de uma vez, a administração de Bolsonaro destacou a expertise israelense nesta área, com sofisticados sistemas de irrigação e dessalinização e uso de sementes resistentes à seca – medidas que poderiam ser replicadas como solução para o semiárido brasileiro.

No campo comercial, as conversas devem se concentrar nas exportações brasileiras de carne bovina e soja. Os produtos integram uma carteira de vendas brasileiras para Israel, que, no ano passado, superaram a marca dos US$ 293 milhões, segundo dados do Ministério da Indústria e Comércio do Brasil. Em contrapartida, o Brasil importou, em mercadorias do Oriente Médio, US$ 1,060 bilhão. O maior volume de importação se concentra em produtos como cloreto de potássio (28% do total), além de inseticidas e herbicidas, que respondem por 24% das exportações.

O Itamaraty classifica as relação entre os dois países de cordial e positiva. Israel chegou a enviar um equipe de militares e equipamentos para ajudar nas buscas de mortos na tragédia de Brumadinho (MG), em janeiro. Dados do governo brasileiro apontam a presença significativa da comunidade judaica no Brasil, estimada em mais de 100 mil pessoas, considerada a décima maior do mundo.

As relações diplomáticas entre Brasil e Israel foram estabelecidas em 1949 e, em 1951, foi criada a Legação do Brasil em Tel Aviv – elevada, em 1958, à categoria de embaixada. Israel estabeleceu embaixada no Brasil em 1955. O debate sobre a sede da embaixada brasileira em Israel foi uma das questões aventadas por Bolsonaro desde a campanha.

O então candidato à Presidência do Brasil defendeu a mudança da embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém, seguindo decisões semelhantes às adotadas pelos Estados Unidos e pela Guatemala. O governo ainda estuda o tema.

Deixe seu comentário: