Últimas Notícias > CAD1 > Situação do joelho, titularidade de Sarrafiore e reencontro de Guerrero no Peru: Dourado projeta duelo contra o Allianza Lima

Carros terão de “ler” placas e reduzir a velocidade sozinhos, prevê nova regra europeia

Imagem de sistema de direção automatizada mostra como o veículo detecta elementos da estrada. (Foto: Mobileye/Divulgação)

Os carros, vans, ônibus e caminhões novos vendidos em países europeus terão que possuir um mecanismo para detectar o limite de velocidade da via em que estejam e reduzir a marcha para se adequarem a ele, segundo um acordo aprovado de maneira provisória pela União Europeia na terça-feira (26).

A medida ainda precisa passar por votação formal no Parlamento da União Europeia e nos Legislativos nacionais e está prevista para entrar em vigor a partir de 2022. De acordo com a nova regra, os veículos terão que possuir câmeras capazes de ler as placas de trânsito e usar informações de GPS para detectar a velocidade máxima em cada via por qual circulam e, assim, adaptar-se a ela.

Ao detectar que o carro está acima do limite, o sistema soará um alerta e reduzirá a velocidade automaticamente. O programa, chamado de ISA (Assistente Inteligente de Velocidade), não acionará os freios, mas reduzirá a potência do motor quando julgar necessário.

Caso o motorista precise (ou queira) seguir acima do limite, poderá pisar mais fundo no acelerador e, assim, retomar o controle sobre a velocidade do seu veículo. A expectativa do Conselho Europeu de Segurança do Transporte é reduzir as batidas em 30%, e as mortes, em 20%.

“Se o acordo for aprovado, serão evitadas 25 mil mortes em 15 anos”, estimou Antonio Avenoso, diretor-executivo do Conselho. Ele comparou a importância da mudança com a obrigatoriedade do uso de cinto de segurança.

Além do limitador de velocidade, estão em debate a instalação de sensores capazes de detectar se o motorista bebeu antes de dirigir ou se está muito cansado e meios de evitar distrações com celulares ao guiar.

Carros automáticos

O exercício físico a bordo do carro parece estar mesmo com os dias contados para a maioria dos brasileiros. A tendência de abolir a habilidade de usar o pé esquerdo para pisar na embreagem e a mão direita para trocar as marchas constantemente já havia sido apontada pela consultoria Jato em 2017. Agora, estudo recente da consultoria Bright Inspiring Sound Decisions estima que já em 2019 as vendas de carros automáticos vão superar as dos equipados com câmbio manual.

“Em 2018, os automóveis automáticos responderam por 49% dos emplacamentos totais. E a estimativa é que esse número ultrapasse os 50% ainda neste ano”, disse Cassio Pagliarini, consultor da Bright. Há dois anos, a pesquisa da Jato revelava que as vendas de modelos novos com algum tipo de câmbio automático haviam crescido 13,5% entre 2012 e 2016. No primeiro semestre de 2017, os emplacamentos desse tipo de transmissão já correspondiam a 42% dos veículos.

Deixe seu comentário: