Últimas Notícias > Capa – Destaques > Fique bem informado antes de sair de casa; confira cinco principais notícias desta quinta

Dermatologistas explicam como o melasma surge e como tratá-lo

Estima-se que 90% das pessoas que desenvolvem melasma são mulheres. (Foto: Reprodução)

O melasma uma das condições menos conhecidas de pele, embora esteja presente em tantas pessoas. Apesar de sua prevalência, muitas pessoas jamais ouviram falar da condição que envolve a pigmentação da pele—o chamado melasma. Celebridades como Ivete Sangalo declararam que lutam contra essa condição, então o que isso vem a ser, exatamente? Conversamos com especialistas para conhecer mais sobre esta condição.

O que é o melasma e qual é a sua causa?

Estima-se que 90% das pessoas que desenvolvem melasma são mulheres, segundo a American Academy of Dermatology. “O melasma é um distúrbio comum da pigmentação facial, que pode ser reconhecido pela aparência de manchas de cor marrom-escura ou cinza na face”, explica a dermatologista Juliana Toma.

“As manchas tendem a surgir na testa, bochechas, lábio superior e nariz, e geralmente são simétricas. Em alguns casos, a pele também pode apresentar um pouco de vermelhidão no momento do aparecimento. Tipicamente, o melasma aparece pela primeira vez entre 20 e 40 anos de idade, e tende mais a afetar indivíduos com pele mais escura ou bronzeada. Acredita-se que, na maioria dos casos, seja deflagrado pela gravidez, medicamentos hormonais como as pílulas anticoncepcionais, e condições médicas que causem alterações dos níveis hormonais.”

Quando se trata de apontar uma causa exata, porém, as coisas se tornam um pouco mais complicadas. “O processo exato não é totalmente conhecido. Entretanto, sabemos que o aumento da pigmentação facial observado no melasma é devido à produção excessiva de melanina pelos melanócitos (as células geradoras de pigmento da nossa pele)”, diz Juliana. “A exposição à radiação ultravioleta do Sol aprofunda a pigmentação ao ativar os melanócitos a produzirem mais melanina. É importante lembrar que existem alguns distúrbios cutâneos que afetam a pigmentação facial, cujos tratamentos serão diferentes”, acrescenta a especialista.

O dermatologista é o único médico especializado no diagnóstico e tratamento de doenças de pele. “É importante garantir que os tratamentos recebidos sejam dados por um profissional qualificado para fornecer essa informação.”

Quais são os tratamentos disponíveis para o melasma?

Assim como os tratamentos potentes profissionais, há alguns produtos destinados à pigmentação da pele que podem ser úteis no tratamento do melasma. O melhor curso terapêutico é uma combinação de tratamentos administrados no consultório com um regime de cuidados de pele otimizado. “Geralmente, tratamos os pontos ou manchas marrons com peelings químicos, que esfoliam a camada mais externa da pele e assim removem os pontos escuros, além de terapia de luz e laser”, explica a Dra. Roberta Lemos.

Enfim, as recomendações dos médicos são para nunca deixar de passar seu melhor bloqueador solar, quesito diário essencial diante de qualquer tipo de pigmentação. “É imperativo usar um filtro de proteção solar, já que o sol é o principal culpado quando se trata de hiperpigmentação”, explica. “Seu corpo produz melanina como forma de proteção contra o sol, e uma superprodução se manifesta como aparecimento de pontos marrons e hiperpigmentação”.

Deixe seu comentário: