Últimas Notícias > Notícias > A “Primavera dos Museus” agita a programação cultural de Porto Alegre nesta semana

Mick Schumacher diz admirar cada vez mais o legado do pai Michael

"O que ele fez foi extraordinário", disse Mick Schumacher sobre a carreira do seu pai na Fórmula 1. (Foto: Reprodução/Instagram)

Estreante na Fórmula 2, Mick Schumacher diz que a cada corrida admira mais a grandeza do seu pai, o ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher. O alemão de 20 anos se prepara para o seu terceiro final de semana na F2 no Circuito da Catalunha, pista em que seu pai – heptacampeão do mundo de F1 – venceu o Grande Prêmio da Espanha seis vezes, um recorde no automobilismo.

“Nunca é fácil, e o que ele fez foi extraordinário”, disse Mick aos repórteres nesta quinta-feira (09). “Eu o admiro mais a cada dia”, declarou. O jovem, membro da Ferrari e campeão da F3 europeia no ano passado, parece destinado a ir para a F1 e seguir os passos do pai. Ele testou um carro de Fórmula 1 da equipe italiana em abril.

Na ocasião, o chefe de equipe, Mattia Binotto, disse ver semelhanças do jovem com Michael. Schumacher pai, que não é visto desde que sofreu ferimentos na cabeça em um acidente de esqui em 2013, era famoso por sua atenção aos detalhes.

Mick, cujo tio Ralf também venceu vários GPs e hoje ajuda o filho David, de 17 anos, em uma série juvenil, indicou que ele é igualmente meticuloso. Também como seu pai, que sofria enjoo em simuladores, Mick rejeita a tendência moderna de corridas virtuais.

“Não faço simulações em casa nem nada assim. Se fizer, é com a equipe, o que é uma preparação adequada para mim. Dados, tudo, todos os pontos essenciais em que preciso estar preparado”, disse o filho do ídolo da Fórmula 1.

“Em casa, basicamente reviso tudo, reviso minhas notas e tento absorver tudo para estar bem situado quando chego aqui para treinar e estar pronto. Prefiro ir treinar, na bicicleta ou na academia, o que para mim é muito bom no lado mental. Não sinto que preciso correr online”, acrescentou o jovem piloto.

Mick, que está em nono na tabela da F2 e cujo melhor resultado até agora foi um quinto lugar na competição, disse que adora testar os seus limites e os do carro. “Se você encontra aquele ponto ideal e consegue repeti-lo todas as vezes, sinceramente essa é uma das melhores sensações. Se você sente isso, é viciante”, revelou.

Perguntado sobre o que faz para relaxar nos dias de folga, Mick disse que assiste a corridas antigas para ver o que pode aprender sobre estratégia e técnica e que, se tivesse um dia livre de qualquer compromisso, “levaria o cachorro para passear”.

Deixe seu comentário: