Últimas Notícias > Notícias > Mundo > Prisão perpétua de terrorista que viveu no Brasil pode não ser tão perpétua assim

Preso na Operação Hashtag volta a ser detido após esfaquear vizinho

Editoria de Arte/O Sul

Um dos presos pela Polícia Federal durante a Operação Hashtag, em julho deste ano, por suspeita de envolvimento com terrorismo, foi novamente detido no Ceará, desta vez por tentativa de homicídio. O jovem de 20 anos é suspeito de ter esfaqueado um vizinho na tarde de domingo (9), no Bairro Araturi em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza.

Segundo o Ministério da Justiça, o rapaz estava solto desde o dia 16 de setembro, quando passou a ser monitorado por tornozeleita eletrônica. O suspeito disse à polícia que estava “se sentindo ameaçado” pela vítima.

Uma equipe da Polícia Militar foi acionada pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) para verificar um caso de lesão corporal no bairro. No registro da ocorrência, foi registrado que o suspeito é conhecido como “Abdul Malek”.

A vítima disse que precisou se esconder em uma oficina mecânica para escapar do agressor. O proprietário do estabelecimento trancou o portão, e o suspeito tentou arrombar a oficina para matar o homem. Quando a polícia chegou ao local, a vítima já havia sido socorrida por moradores do bairro para um hospital.

O agressor foi preso pela polícia quando estava em casa, na sala da residência. Segundo a polícia, o jovem não reagiu à prisão e confessou a agressão. A faca que teria sido usada no crime foi apreendida.

A ocorrência foi atendida pela Delegacia Metropolitana da Caucaia, que é unidade plantonista da área. Na manhã desta segunda-feira (10), o homem foi levado para o 18º Distrito Policial (DP). Conforme o titular da delegacia, delegado Wilton Freitas, o prazo para concluir as investigações sobre o caso é de dez dias.

Um vizinho do suspeito relatou para a reportagem que o rapaz já se envolveu em outras discussões no bairro. Ele disse que o jovem chegou a atingir uma vizinha com tiros de arma de fogo.

Ligação com terrorismo
O cearense foi preso em julho deste ano, antes da Olímpiada do Rio de Janeiro, na primeira fase da Operação Hashtag, deflagrada pela Polícia Federal em sete estados. Os presos eram suspeitos de ligação com grupos terroristas.

Conforme o Ministério da Justiça, foram as primeiras prisões no Brasil com base na recente lei antiterrorismo, sancionada em março deste ano. Também foram as primeiras detenções por suspeita de ligação com o grupo terrorista Estado Islâmico, que atua no Oriente Médio, mas tem cometido atentados em várias partes do mundo. (AG)

Deixe seu comentário: