Ícone do site Jornal O Sul

Brasil chega a 200 milhões de vacinas aplicadas

Segundo o vacinabrasil.org, o País tem 66% da população vacinada com uma dose ou dose única. (Foto: Myke Sena/MS)

O Plano Nacional de Imunização (PNI) começou vacilante devido à falta de insumos e demorou 165 dias para chegar a 100 milhões de vacinas contra covid aplicadas na população. Porém, o ritmo intenso dos últimos três meses, com mais de um milhão de doses por dia, fez o Brasil chegar à marca de 200 milhões de doses aplicadas apenas 65 dias depois, ultrapassando EUA e toda a União Europeia na proporção de vacinados.

Dois terços vacinados
Segundo o vacinabrasil.org, o País tem 66% da população vacinada com uma dose ou dose única. EUA têm 61,22% e a União Europeia 64,71%.

Perspectiva
As doses aplicadas no Brasil conseguiriam imunizar qualquer um de mais de 200 países. Fosse o Reino Unido, já seriam três doses por habitante.

Segredo brasileiro
A cultura de vacinação e a expertise em grandes campanhas, além da capilaridade do SUS, são apontados como motivos do sucesso do Brasil.

Consequência duradoura
Com esse avanço rápido, o Brasil é um dos poucos países com médias de casos e mortes em tendência de queda há cinco meses seguidos.

Estratégia do confronto afasta eleitores de 2018
As declarações do presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta (3), podem ser úteis na mobilização de apoiadores para as manifestações do dia 7, mas, como é frequente, podem representar um tiro de bazuca no próprio pé. Sua aposta no confronto favorece os adversários, na medida que afasta eleitores cujos votos garantiram sua vitória, em 2018. Gente que votou nele não por ser bolsonarista, mas para impedir retorno do “lulopetismo” que roubou o País de forma inclemente, como se provou na Lava Jato.

Esperança vã
No discurso de ontem, Bolsonaro afirmou esperar que a manifestação do dia 7 faça os ministros do STF se “redimirem” de suas decisões.

Sem intimidação
Até para mostrar que não se intimida, o ministro Alexandre de Moraes, alvo do discurso, mandou prender um jornalista que apoia Bolsonaro.

Regresso esperado
Governistas avaliam que os apoiadores de 2018 voltarão pela mesma razão, por considerarem Bolsonaro o único capaz de derrotar Lula.

Índios em 1º lugar
A prioridade na vacinação de indígenas fica clara nos percentuais. Enquanto 80% dos índios brasileiros estão totalmente vacinados com duas doses, a população não indígena não passa dos 40%.

Mão boba
Enquanto as manchetes discutiam se as manifestações de terça (7) serão democráticas ou não, a Câmara criou mais um tributo: 1% sobre os pagamentos de empresas nacionais a empresas estrangeiras.

Contagem regressiva
Para que as novas regras valham para a próxima eleição, o Congresso tem apenas 28 dias para aprovar o Código Eleitoral, quando faltará só um ano para a disputa prevista para o dia 2 de outubro de 2022.

Proibidos de investigar
O senador Marcos Rogério (DEM-RO) considera que o trabalho da CPI é passível de anulação. “Os senadores da base do governo não têm acesso aos documentos sigilosos. Estão proibidos de investigar. Esta é uma condição que invalida o conjunto probatório desta CPI”, afirmou.

De olho no descanso
A Infraero estima que os dias de maior movimento nos seus aeroportos são na sexta (3) com “mais de 146 mil passageiros em trânsito”, e na quarta (8), “quando 138 mil passageiros devem retornar do feriado”.

Apoio local
Não são só os caminhoneiros de estrada se preparam para apoiar as manifestações de 7 de setembro. Quem faz frete e mudança em Brasília se organizou em grupos com camisas e bandeiras para irem à Esplanada

Organizado
A Polícia Militar do Distrito Federal divulgou planos para alterar o trânsito na área central da capital para o dia 7 de setembro e as manifestações marcadas para o feriado. Todas as principais vias estarão fechadas.

Maior de todos
Maior ferramenta do mundo moderno, o Google completa 23 anos neste sábado (4). O site responde por 90% de todas as buscas feitas na internet, o que representa mais de 2 trilhões de pesquisas por ano.

Pensando bem…
… manchetes e políticos apostam no caos, mas o brasileiro quer mesmo é descansar no feriadão.

PODER SEM PUDOR

Acontece que ela é baiana
Presidente da sessão na Câmara, o deputado José Linhares (PP-CE) anunciou o discurso do “nobre deputado Jumari Oliveira”. “É deputada, senhor presidente”, corrigiu a baiana Jumari. “Desculpe, não olhei para a esquerda”, justificou-se Linhares. Jumari respondeu na bucha: “O senhor tem quatro anos para aprender que eu sou Jumari, mulher e baiana.”

Com André Brito e Tiago Vasconcelos