Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Veja as propostas de Bolsonaro e Haddad para o meio ambiente

A África confirmou o primeiro caso de ebola em área urbana

Agentes de saúde trabalham para o controle da doença no Congo. (Foto: Reprodução)

O surto de ebola na República Democrática do Congo entrou numa nova fase, após um caso de infecção pelo vírus ter sido detectada pela primeira vem em Mbandaka, uma das principais cidades do país, afirmou o Ministério da Saúde congolês. A OMS (Organização Mundial de Saúde) confirmou a infecção detectada em Wangata, uma das três zonas de saúde de Mbadanka, cidade de 1,2 milhão de habitantes no Noroeste.

Até o momento, as 23 mortes atribuídas ao mais recente surto do vírus no país haviam sido detectadas em localidades remotas, fazendo com que as autoridades tivessem mais chance de isolar as infecções. O primeiro caso ocorrido em uma zona urbana aumenta os temores de uma disseminação ainda maior do vírus.

A OMS, que enviou ao Congo na quarta-feira (16) as primeiras vacinas experimentais contra o vírus, expressou preocupação com a chegada da doença a Mbadanka, que poderá dificultar a contenção do surto. A vacina, desenvolvida pela Merck em 2016, se mostrou segura e eficaz em testes com humanos, mas é experimental por ainda não ter uma licença. Ela precisa ser mantida entre as temperaturas de – 60ºC a – 80 ºC, o que cria grandes desafios logísticos.

Mbandaka está localizada às margens do rio Congo, uma das principais vias de transporte de carga e passageiros para a capital, Kinshasa. O país vizinho, a República do Congo, fica na outra margem.

“Entramos em uma nova fase do surto de ebola, que afeta agora três zonas de saúde, incluindo uma zona urbana”, disse o ministro congolês da Saúde, Oly Ilunga Kalenga, em nota.

“Desde o anúncio do alerta em Mbandaka, nossos epidemiologistas trabalham no local para identificar as pessoas que estiveram em contato com casos suspeitos”, disse o ministro, acrescentando que as autoridades intensificarão o rastreamento dessas pessoas em todas as rotas de transporte aéreo, fluvial e terrestre em torno da cidade.

Esta é a nona ocorrência de ebola na República Democrática do Congo desde a primeira aparição conhecida do vírus, próximo ao rio Ebola, no Norte do país, nos anos 1970.

“Estamos muito preocupados e nos preparamos para todos os cenários, incluindo o pior cenário possível”, declarou o diretor do programa de resposta de emergências da OMS, Peter Salama, em uma entrevista coletiva em Genebra. A epidemia mais importante ocorreu no Oeste da África entre 2013 e 2016 e deixou 11,3 mil mortos de um total de 29 mil casos, em sua grande maioria na Guiné, Libéria e Serra Leoa.

Ebola é transmitido por líquidos corporais

A febre hemorrágica do ebola, que apareceu pela primeira vez em 1976 no que então era Zaire (agora RDC), procede de um vírus que se transmite por contato físico com os líquidos corporais infectados. O consumo de carne de animais silvestres também é um fator de contágio.

Deixe seu comentário: