Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Marido de deputada federal é morto a tiros no RJ

D’Ale na história: argentino completa 450 jogos em mais de 10 anos pelo Inter

Camisa 10 do Inter marcou o terceiro gol na vitória sobre o Bahia. Foto:(Ricardo Duarte/S.C.Internacional)
*Valéria Possamai

A noite desta quarta-feira não poderia ter roteiro melhor para o camisa 10 do Inter. Neste dia 12 de junho, D’Alessandro chegou aos 450 jogos, balançou as redes pela 92° vez com a camisa colorada e garantiu mais uma vitória do time no Campeonato Brasileiro.

A marca foi símbolo de homenagem antes da partida contra o Bahia, no estádio Beira-Rio. Acompanhado da família, D’Ale recebeu uma placa e uma camisa personalizada das mãos do presidente Marcelo Medeiros e do vice-presidente de futebol Roberto Melo.

A marca atingida pelo camisa 10 coloca seu nome em mais uma parte da história do colorado. Até agora, D’Alessandro é o quinto jogador com mais atuações com a camisa colorada. Ficando atrás apenas de Valdomiro (803), Bibiano Pontes (523), Dorinho (460) e Luiz Carlos Winck (453).

“Feliz pela vitória e por conseguir o objetivo da equipe. Quem me conhece bem sabe o quanto eu trabalho para merecer as coisas. Errando ou acertando, sempre corri atrás. Faço por merecer. De graça não vem nada. Temos que tentar e ter dedicação, e acho que eu tenho. Foi um gol que faz tempo que eu queria fazer. Muitas vezes ficou claro para fazer o gol e acabou batendo em alguém. São 92 gols e isso me deixa feliz. Só agradeço o carinho do torcedor. É uma relação muito natural”, declarou o argentino na zona mista após a partida.

Com contrato até dezembro deste ano, o futuro do jogador de 38 anos ainda será definido ao longo da temporada. “Sou atleta ainda. Penso como atleta e é óbvio que a vida do atleta é mais curta. Temos duas vidas dentro de uma. Se tu perguntar agora eu falo que não vou parar, mas não sei o que vai acontecer ao final do ano. Não tivemos conversas ainda, mas não é uma situação que me tire o sono. Minha relação com o clube é muito clara e da minha parte não vai haver pressão para renovar. Não tenho nada para reclamar. Eu não vou sair do clube. É muito difícil falar hoje que eu sairia do clube. Se tiver que renovar a gente vai renovar. Nosso relacionamento é muito bom. Quero chegar cedo e tomar um cafézinho com os funcionários como sempre faço. Procuro contagiar os meus colegas a fazer o mesmo”.

Deixe seu comentário: