Home > Capa – Caderno 1 > O Inter tem uma semana repleta de treinos antes do próximo jogo

Mais que balanço, há trepidação

Uma avaliação do ano inclui muitos itens. Alguns deles: cresceu a desmoralização da política, a recessão, o desemprego e a debilidade da esquerda.
O governo federal, agravado por brutais níveis de corrupção, fecha as contas com déficit de 170 bilhões de reais, o pior resultado da História. Não são poucos os que querem continuar a gastar ilimitadamente os tributos extorquidos da população. Para ilustrar: o Impostômetro chegou às 22h e 30min de ontem a 2 trilhões, 2 bilhões e 500 milhões de reais. Total arrecadado para os cofres públicos desde 1º de janeiro.

CAMINHO A SEGUIR
Para o próximo ano, será aprofundada a crítica sobre o modo como lidam com o público e o privado. Há necessidade inadiável de novas práticas institucionais, democráticas e transparentes.

ZONA NEBULOSA
O debate entre José Fortunati e Nelson Marchezan Júnior sobre a situação financeira é consequência da falta de clareza. Costuma ocorrer também quando há troca no Executivo estadual. A divergência entre números surpreende quem paga impostos e deveria ter acesso permanente aos dados. Os tecnocratas, porém, andam na contramão. Eles sabem: informação é poder.

QUEM ORIENTOU
O decreto de Marchezan, que congelará gastos e chamará fornecedores com pagamentos em atraso para conversar, foi um dos conselhos dados pelo secretário da Fazenda do Paraná. Mauro Ricardo Costa esteve em Porto Alegre, no começo deste mês, e fez palestra para prefeitos eleitos do PSDB.

CACHIMBO DA PAZ
A convocação de sessão extraordinária para segunda-feira, feita pela presidente da Câmara Municipal, Cassio Trogildo, demonstra que está superado o impasse do PTB com Marchezan. Será votado o novo organograma da Prefeitura que extingue 16 secretarias. Os vereadores ainda decidirão sobre 14 emendas.

RÁPIDAS
* Queda de braço da próxima semana: Henrique Meirelles diz que os estados não receberão auxílio da União. Eliseu Padilha afirma o contrário.
* Temer começará o ano disputando as provas do triathlon: as reformas tributária, trabalhista e da Previdência.
* Castas privilegiadas seguirão ameaçando: “No meu bolso, não. Minhas mordomias são legais, éticas e justas.”
* O que se ouve com frequência nas rodas do poder: “É preciso diminuir as despesas.” Só não acrescentam: “Despesas dos outros, claro.”
* Só ontem, em juros, o governo federal pagou 1 bilhão e 130 milhões de reais para rolar sua dívida.
* Em Gravataí, o receituário para conquista de votos teve efeito: tomarão posse, amanhã, os vereadores Paulinho da Farmácia, o 1º colocado, e Jô da Farmácia .
* O Brasil do abandono, do atraso e da desesperança segue sonhando com o Brasil de justiça, progresso e solidariedade.
* A coluna agradece as mensagens recebidas e faz votos de realizações em 2017. Que o ano seja como cada leitor espera.

Comentários