Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Neymar levou dois cabeleireiros para o Mundial

Michel Temer anunciou a instalação de antenas de internet em 2 mil municípios: a instalação será paga pelo governo federal e caberá aos municípios garantir a segurança da área

A expectativa é de que o programa tenha duração de pelo menos 18 anos, tempo de vida útil do satélite. (Foto: Reprodução)

O presidente Michel Temer lançou nessa segunda-feira o termo de adesão de municípios brasileiros ao programa Internet para Todos, que oferece acesso a internet de alta velocidade por meio de um satélite geoestacionário.

Ao todo, 2.260 cidades deverão ser beneficiadas pela iniciativa em sua primeira fase, por meio da instalação de antenas para distribuição do sinal de internet. A expectativa é de que o programa tenha duração de pelo menos 18 anos, tempo de vida útil do satélite.

As adesões foram assinadas em cerimônia promovida em Brasília. A previsão é de que cada antena tenha um raio de conexão de um quilômetro e meio e a ideia é de que elas sejam colocadas próximas de escolas e hospitais públicos.

A instalação será custeada pelo governo federal e caberá aos municípios garantir a segurança da área, arcar com as despesas de energia elétrica e determinar os locais de

As primeiras antenas devem ser entregues em maio e a meta é a instalação de 200 por dia. A operação será feita pela empresa Viasat, dos Estados Unidos, contratada pela Telebras. Segundo o governo federal, o custo de utilização do sinal de internet será reduzido.

Na mesma cerimônia, o presidente sancionou projeto de lei que especifica a origem de crédito especial de R$ 2 bilhões aos municípios do país. O montante será transferido por meio do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) por meio de uma medida provisória, assinada no ano passado.

A iniciativa especifica que os recursos terão origem nos orçamentos dos ministérios da Educação, Saúde e Desenvolvimento Social. A sanção faz parte de esforço do presidente de melhorar os seus índices de aprovação.

Velocidade no Brasil

A Netflix divulga mensalmente o levantamento ISP Speed Index, índice que mede a velocidade de internet dos principais provedores do Brasil e do mundo. Segundo os gráficos disponibilizados pela empresa de streaming, o serviço de banda larga brasileiro atingiu o pior resultado em dois anos no mês de Janeiro, com a primeira colocada Live Tim atingindo 3,07 Mb/s. Ao estudar as médias divulgadas pela Netflix, é possível identificar os números que apontam para a queda na velocidade da internet no país.

Como funciona

A Netflix está presente em mais de 190 países e tem mais de 117 milhões de membros cadastrados. Sempre que um desses membros acessa o catálogo de vídeos e começa a assistir nos horários de pico, sua velocidade média passa a ser monitorada.

No Brasil, a Netflix libera a média de velocidade das seis principais operadoras de banda larga. Entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, todos esses provedores de Internet tiveram queda. Esse fato fez a média geral sofrer uma redução de 2,64%, caindo de 2,65 Mb/s para 2,58 Mb/s. Apesar disso, as operadoras permanecem nas mesmas posições. A Live Tim está no topo da lista desde agosto de 2016,quando tirou a dianteira da NET Virtua. Não houve mudanças no ranking desde então.

Reduzindo

A queda de velocidade entre o final de 2017 e o começo de 2018 não é algo pontual no histórico recente de medições da Netflix. Desde o começo de 2016 essa redução pode ser notada.

Em comparação com janeiro do ano passado, a velocidade média da líder caiu cerca de 6,5%, passando de 3,29 Mb/s para os 3,07 Mb/s atuais. A queda é ainda maior quando comparamos com o mesmo período de 2016: são 12% a menos hoje que os 3,5 Mb/s que lideravam a tabela. Inclusive, a terceira colocada à época, Vivo Fibra, aparecia com média de velocidade maior que a líder atual, com 3,24 Mb/s.

Apesar da diminuição geral da velocidade da Internet banda larga no país, a diferença entre as operadoras também teve uma redução. As médias da primeira e da última colocadas caiu de 2,06 Mb/s para menos de 1 Mb/s.

Deixe seu comentário: