Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Casos de sarampo são confirmados em mais sete estados brasileiros

“Nasci novamente”, diz padre Marcelo Rossi em missa após ter sido empurrado de cima de palco

Padre Marcelo Rossi durante missa. (Foto: Reprodução)

O padre Marcelo Rossi contou a fiéis, neste domingo (21), como se sentiu e o que pensou logo após ter sido empurrado por uma mulher de cima de um palco no qual celebrava missa, em Cachoeira Paulista, em São Paulo, há uma semana. Desta vez, o sacerdote não segurou as lágrimas, relembrou a forte dor do momento e deu graças a Deus pelo que chamou de “milagre” de estar vivo. Ele classificou o episódio como um “batismo de fogo”.

Marcelo Rossi destacou que ficou “totalmente consciente” depois do empurrão. Naquele momento, ele disse, só queria “entender o que estava acontecendo”. Depois, em meio à dor, pensou que não gostaria de voltar a tomar remédios, já que passara “muito tempo” tomando anti-inflamatório no passado.

“Hoje, graças a Deus, não tomo nada. Estou sem remédio. Foi uma dor muito forte. Só sei que, naquele momento, veio uma consciência tão forte que Deus estava me dando de novo o batismo. Nasci novamente. Se o inimigo pensava que seria a minha morte, deu um tiro no pé, porque aquilo se transformou em uma benção”, ressaltou o padre, aplaudido pelos fiéis que acompanhavam a missa neste domingo.

Há uma semana, o religioso, que também é cantor, escritor e colunista do jornal “Extra”, foi derrubado do altar de forma brusca, o que causou preocupação nos fiéis. A mulher, que sofre de transtorno bipolar e faz tratamento psiquiátrico, furou a segurança do palco, correu em direção ao padre e o empurrou com tanta força que ele caiu da estrutura. Aos 32 anos, ela viajou do Rio para Cachoeira Paulista acompanhada do filho de 2 anos, em uma caravana. O sacerdote decidiu não prestar queixa na polícia e disse perdoar a fiel.

Em outro momento, Marcelo Rossi lembrou do episódio com bom humor. “Eu parecia um boneco, gente. Uma criança me falou: ‘Padre, você é o Superman’. Eu falei: ‘Não sou Superman, não. Superman sobe, e eu caio'”, afirmou ele.

O padre destacou neste domingo que a vida “é uma passagem” e incentivou os jovens a buscarem a Deus para “nunca se perderem”.

“A raiva do demônio de ver aqueles jovens louvando [em Cachoeira Paulista], o desespero deles [dos jovens] na hora que eu caí… Mas Deus me levantou, literalmente, e a alegria deles de me ver de pé… Por que eu estou falando isso? O mundo oferece vários caminhos, mas, se você conhece Jesus e Maria, tenha certeza que nunca vai se perder. O mundo pode até te derrubar, mas Deus vai te levantar”, afirmou, às lágrimas. “Eu falei que não ia chorar, mas não tem jeito.”

Em seguida, Marcelo Rossi voltou a dizer, como afirmara depois do empurrão, que experimentou um “milagre” em sua vida.

“Quem crê em milagres? Se você dúvida, está aqui”, disse, em referência a si mesmo. “Nós somos a descendência que pisa na cabeça da serpente.”

Deixe seu comentário: