Últimas Notícias > Notícias > Brasil > A retratação recente de duas personalidades públicas brasileiras que afirmavam ter passagens acadêmicas pela Universidade Harvard colocou em xeque currículos criados pelos próprios usuários

Governo federal aprova programa de demissão voluntária em sete estatais

Nos Correios, a adesão esperada é de 7.300 empregados. (Foto: Divulgação/Correios)

Para enxugar ainda mais os gastos do governo, o Ministério da Economia aprovou, nesta quinta-feira (16), programas de demissão voluntária (PDV) em sete estatais federais, com adesão esperada de 21 mil funcionários e uma economia estimada em R$ 2,3 bilhões por ano. As informações são do jornal Folha de S.Paulo e da Agência Brasil.

O anúncio foi feito pela Secretaria Especial de Desestatização e Desinvestimento e ocorre em meio a protestos provocados pelo contingenciamento de recursos. Na quarta-feira (15), manifestantes foram às ruas em todo o País para criticar o bloqueio de gastos em educação.

“Foco em eficiência”

Em comunicado, o secretário de Coordenação e Governança das Estatais, Fernando Soares, diz que os programas devem ser finalizados ainda neste ano.

As empresas estatais devem ter foco em eficiência, produtividade e economia de custos. Temos que primar por uma alocação eficiente do recurso. Toda a nossa ação é nesse sentido de melhorar a entrega dessas entidades para a sociedade brasileira.”

PDVs

Até agora, Petrobras, Correios, Infraero e Embrapa já anunciaram seus PDVs. Na Infraero, o objetivo é desligar cerca de 600 funcionários. Na Petrobras, seriam 4.300, enquanto nos Correios a adesão esperada é de 7.300 empregados. Na Embrapa, a meta é o desligamento de 3.000.

As outras três estatais que tiveram o programa de desligamento aprovado não foram anunciadas por “questão estratégia”, segundo a secretaria. “Cabe à gestão fazer um trabalho junto aos seus empregados para que o PDV seja melhor entendido por eles. É preciso que a área de Recursos Humanos da empresa e a diretoria mostrem os benefícios da adesão ao programa”, afirma Soares, no comunicado.

Análise

Além dos sete PDVs já aprovados, outros quatro estariam em análise para potencial adoção neste ano, segundo o secretário.

Em março, o Ministério da Economia anunciou o contingenciamento de R$ 29,8 bilhões. Com a revisão da projeção do PIB (Produto Interno Bruto) que será divulgada no próximo dia 22, a expectativa é de um bloqueio adicional que pode alcançar R$ 10 bilhões.

Taxa de desemprego no País

A taxa de desemprego cresceu em 14 das 27 unidades da Federação no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o último trimestre do ano passado, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (PNAD-C), divulgada nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nas outras 13 unidades, a taxa manteve-se estável.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2018, no entanto, apenas quatro unidades da Federação tiveram aumento da taxa de desemprego.

Deixe seu comentário: