Últimas Notícias > Colunistas > Michel Temer salvou o País do caos? A História vai julgar

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chegou a Windsor e foi recebido pela rainha Elizabeth 2ª

Trump e a primeira-dama, Melania, foram recebidos pela rainha Elizabeth 2ª no Castelo de Windsor. (Foto: Twitter/The Royal Family)

O presidente americano Donald Trump chegou nesta sexta-feira (13) ao castelo de Windsor, no Reino Unido, e foi recebido pela rainha Elizabeth 2ª.

Apesar de a viagem de Trump ao Reino Unido não ser uma visita de Estado oficial, ele foi recebido com uma banda militar ao chegar ao castelo, onde ele e Melania tomaram chá com a rainha. Elizabeth 2ª olhou o relógio enquanto esperava a chegada do americano; depois, eles inspecionaram a guarda do local.

Trump se junta agora à longa lista de presidentes americanos que conheceram a rainha britânica: Elizabeth 2ª se encontrou com 11 dos 12 que governaram os EUA desde que ela foi coroada, em 1953. O único com quem ela não teve uma reunião foi Lyndon B. Johnson, que fez visitas apenas à Ásia durante seu governo.

Windsor fica a cerca de 40 km de Londres; o castelo no local é usado como residência de campo pela rainha, que costuma passar a maioria dos finais de semana lá, assim como o mês depois da Páscoa.

Ainda para esta estava programada uma viagem de Trump para a Escócia, para uma viagem particular; nesta segunda-feira (16), ele se encontrará com o presidente russo, Vladimir Putin, em Helsinque, na Finlândia.

A visita de Trump ao Reino Unido começou na quinta-feira (12) e o americano já causou polêmicas. Em entrevista ao tabloide britânico The Sun, o republicano criticou duramente o plano da primeira-ministra Theresa May para a saída do Reino Unido da União Europeia (o “brexit”), elogiou o agora ex-chanceler Boris Johnson e demonstrou mágoa com a autorização para que um boneco gigante inflável que retrata o mandatário sobrevoe Londres.

O americano na entrevista afirmou que a proposta de May de um “brexit light”, em lugar de um afastamento rápido e duro, representa o fim de um possível acordo de livre-comércio no futuro entre EUA e Reino Unido.

Nesta sexta, em entrevista coletiva conjunta com May, Trump pareceu voltar atrás, porém, dizendo que não criticou a primeira-ministra e que eles vão negociar um tratado de livre comércio.

“Eu não critiquei a primeira-ministra, tenho muito respeito pela primeira-ministra”, disse Trump. “Infelizmente houve uma reportagem que foi feita que no geral estava boa mas que não publicou o que eu disse sobre a primeira-ministra e eu disse uma coisa tremenda [sobre ela]. Isso se chama ‘fake news’ [notícia falsa].”

“Em termos de grau, colocaria nosso relacionamento no nível mais alto de especial, especialmente depois desses dois dias com a primeira-ministra. Consigo ir mais alto que isso? Não sei, mas é o nível mais alto de especial. São um povo muito especial, é um país muito especial e como eu disse eu tenho um relacionamento porque minha mãe nasceu na Escócia”, acrescentou.

 

Deixe seu comentário: