Últimas Notícias > Notícias > Política > Rede de academias já conta oito clientes presos na Operação Lava-Jato

Polícia Federal mira auditores da Receita que extorquiam dinheiro de alvos da Lava Jato

(Foto: Marcelo Camargo/Reprodução Agência Brasil)

Nesta quarta-feira (2), agentes da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF) vinculados à Operação Lava Jato cumprem 14 mandados de prisão contra auditores e analistas da Receita Federal. No total, são nove prisões preventivas e cinco temporárias. O principal alvo é o auditor Marco Aurélio Canal, que já foi preso, apontado como o chefe da quadrilha. Os policiais buscam por outros investigados em três bairros do Rio de Janeiro (Campo Grande, Botafogo e Barra da Tijuca) e em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Canal era supervisor nacional da Equipe Especial de Programação da Lava Jato. A força-tarefa do MPF não mantinha relacionamento direto com a equipe dele, uma vez que a parceria nas fases de investigação era feita com o setor de Inteligência da Receita. A equipe do supervisor só atuava depois das operações ostensivas, para cobrar o imposto devido pelos investigados, sem contato com os procuradores.

A ação, denominada Armadeira, contou com o apoio da Corregedoria da Receita e cumpre outros 39 mandados de busca e apreensão expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio.