Últimas Notícias > Colunistas > Grito sindical

Total assustador

O Jurômetro atinge hoje 300 bilhões de reais. O placar eletrônico, mantido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, registra o que foi pago pelo governo federal, desde 1º de janeiro deste ano, para rolar a dívida pública. Isso é uma parte. O relatório de execução orçamentária, em 2016, mostrou que a União destinou 1 trilhão e 130 bilhões de reais para juros, encargos, amortização e refinanciamento da dívida.

ESTÁ DE VOLTA

O Instituto de Estudos Políticos, Econômicos e Sociais (IEPES), órgão do PMDB, renasceu ontem à noite com plena vitalidade, após vários anos de paralisação. O encontro no Hotel Embaixador reuniu em torno de 150 líderes e filiados, tendo como tema O Brasil Vale a Pena. O palestrante foi o deputado federal Aldo Rebelo, do PSB, que condenou o avanço das corporações sobre o orçamento público por se julgarem deusas do destino da nação.

CONTRARIADO

Rebelo tinha sido lançado candidato à Presidência da República pelo PC do B, no qual permaneceu por 40 anos e se desligou há 12 dias. Para explicar a mudança, declarou: “Um partido é uma correia de transmissão de ideias. Não pode ser transmissão de interesses de corporações.” Disse tudo.

MOMENTO DE TENSÃO

O Supremo Tribunal Federal julgará amanhã se tem competência para rever a decisão que afastou o senador Aécio Neves do cargo. Na tentativa de evitar confronto com a Suprema Corte, somente dia 17 o plenário do Senado analisará a posição dos magistrados.

ANDA ASSIM

Na época dos automóveis com câmbio automático, a Assembleia Legislativa tenta movimentar hoje a manivela para que o motor pegue. Há 53 projetos aptos a entrar na ordem do dia para votação.

PRÓXIMOS E DISTANTES

No café do Palácio Farroupilha, ontem à tarde, jornalistas apontavam a semelhança de fisionomia entre João Doria e Germano Rigotto, dependendo do ângulo. Quanto à prática política, a distância é imensa.

PENTE FINO

O desaparecimento de peças de reposição do almoxarifado da Carris levou a direção a instituir a revista na saída de veículos e funcionários, o que foi aceito sem resistências.

CINTO MUITO APERTADO

Hoje, completa-se um ano da aprovação da proposta de emenda constitucional, encaminhada pelo presidente Michel Temer à Câmara de Deputados, congelando gastos federais até 2036. Foram 366 votos a favor e 11 contrários. O rombo no caixa persiste.

CONDIÇÃO NECESSÁRIA

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias, da Câmara dos Deputados, aprovou a criação do Estatuto dos Direitos do Paciente para garantir dignidade e autonomia ao cidadão que precisa de serviços de saúde em hospitais públicos e privados. O artigo 1º precisa dizer: serão fechados os ralos de desperdícios e corrupção para que não faltem recursos para a saúde.

ACERTOU NOS ALVOS

O senador Cristovam Buarque, do PPS, advertiu ontem que, se as autoridades e lideranças políticas não forem capazes de encontrar a saída do labirinto no qual o país está, é bem provável que o povo, nas próximas eleições, escolha alguém que ponha em risco a via democrática. Disse ainda que “a Constituição de 1988 foi elaborada para fazer com que o país enfrentasse o fim da ditadura, mas não para possibilitar a construção do futuro. Com isso, o Brasil passou a viver uma era de direitos sem deveres.”

TERRA SEM LEI

Todas as semanas, o Rio de Janeiro tem espaço cativo na Imprensa internacional. A mais recente edição da revista britânica The Economist destaca o crescimento do número de homicídios na Ex-Cidade Maravilhosa. Chega-se à conclusão de que o primeiro atributo de seus turistas é a coragem.

HÁ 40 ANOS

A 10 de outubro de 1977, o deputado federal Ulysses Guimarães, presidente do MDB, foi enquadrado no Código Eleitoral por desobediência à Justiça em pronunciamento feito por cadeia de rádio e televisão.

NÃO FALTAM ESPERTOS

Nos períodos de escândalos públicos é comum acontecer: alguns lavam as mãos e roubam o sabonete.

Deixe seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.