Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Quase dois meses após a cirurgia na próstata, Michel Temer passa por novos exames. Conforme os médicos, ele se recupera bem

Veja se é mais caro ter um gato ou um cachorro. Faça as contas

Some as necessidades e veja qual se adapta melhor ao seu bolso. (Foto: Reprodução)

Seja um cão ou seja um gato, a responsabilidade de ter um bicho de estimação é muito grande. A primeira dica é saber se a família toda está de acordo com a presença do animal em casa. Todos vão ter que cooperar com os cuidados de higiene, saúde, passeios etc. Isso exige tempo, dinheiro e dedicação. O retorno todos vão ver logo de cara: eles retribuem com momentos divertidos, muito amor e companheirismo.

Em primeiro lugar, vale falar sobre responsabilidade. Cães e gatos envolvem gastos com saúde e bem-estar. Os pets vão precisar de visitas semestrais ao veterinário, carteira de vacinação em dia e uma boa ração, além de banho e tosa, petiscos, brinquedos, acessórios e produtos de higiene. Além disso, podem viver cerca de 16 anos.

Gatos se adaptam melhor às horas em que os donos estão fora de casa, porque dormem mais de 10 horas por dia. Por outro lado, também precisam de atenção e cuidados.

Os cães são ativos, requerem passeios diários e não gostam de ficar muito tempo sozinhos. É preciso dedicar um tempo para dar atenção, interagir, brincar e passear com eles. Quando ainda são filhotes, precisam de adestramento e paciência do dono para aprender a fazer as necessidades no lugar certo. Eles crescem e também podem ficar maiores do que o esperado.

Certas raças de cães e de gatos exigem cuidados diários especiais. É o caso de cães e gatos peludos, em especial yorkshire, lhasa apso, maltês, schnauzer, chow chow, golden retriever, shih-tzu, spitz alemão, collie, cocker spaniel, sheepdog, bernese mountain dog, pastor de shetland, akita e husky siberiano e gatos persa e himalaia, que precisam de escovação diária.

Animais de pequeno porte se adaptam melhor em lugares mais compactos. Há cães que vivem perfeitamente em apartamento: bulldog francês, bulldog inglês, jack russel terrier, shih-tzu, lhasa apso, cocker spaniel, yorkshire, spitz alemão, pastor de shetland, pug, poodle e west highland terrier.

É preciso se informar se o local onde o bichinho vai morar não tem restrições, se há espaço para ele viver com conforto, se alguém é alérgico à pelagem e se os vizinhos não se importarão com os latidos. A casa deve ser estruturada para receber o pet, com proteção de tomadas, cuidados ao acesso a produtos de limpeza e plantas tóxicas, incluindo arranhadores para gatos e rede nas janelas.

Ou seja, tudo isso são gastos. Para saber qual bichinho vai custar mais, faça um levantamento considerando gastos iniciais, considerando o porte do animal, no caso dos cães, o valor da compra, caso não tenha sido um bichinho adotado, e contabilize comedores e bebedores, castração, coleiras, caixas de transporte, caixa sanitária e eventuais vacinas iniciais. Depois, liste o valor mensal com rações, medicamentos, vermífugos, idas a veterinários, banho e tosa, controle de pulgas, acessórios, vacinas anuais ou em outros períodos, e serviços extras como de passeios, caso você não tenha como sair com seu bichinho sempre, pet sitter, “creches”. Faça um paralelo e confira quem gasta mais e qual se adapta mais a você e a o seu orçamento.

Deixe seu comentário: