Sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Bolsonaro se opõe a tabelamento de preços e cobrança de imposto sobre grandes fortunas

Compartilhe esta notícia:

O presidente Jair Bolsonaro está mais isolado politicamente a cada dia. (Foto: EBC)

O presidente Jair Bolsonaro descartou, nesta segunda-feira (2), a possibilidade de instituir um imposto sobre grandes fortunas, tabelamento de preços ou aumento de carga tributária no País. “Agora é um crime ser rico no Brasil”, ironizou em discurso durante a cerimônia de lançamento do programa “Água nas Escolas”.

“Alguns querem que eu cobre taxa sobre grandes fortunas no Brasil, que se aumente a carga tributária, que se tabele preços”, falou. “Nós somos aquilo que nós produzimos.”

Apesar das afirmações contra o aumento de impostos, a proposta de reforma tributária apresentada pelo governo federal prevê uma cobrança de 20% sobre lucros e dividendos, o que incidiria sobre os ganhos de empresários e acionistas.

Bolsonaro também relatou ter pedido ao presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, a apuração de valores enviados pela instituição de fomento ao exterior, no âmbito da execução de projetos em países estrangeiros: “Eu pensava que fosse caixa preta, mas não, foi enviado legalmente ao exterior”.

Durante a campanha presidencial, em 2018, Bolsonaro havia prometido investigar suposta utilização da instituição financeira pública em esquemas de corrupção, mas acabou não levando a ideia após assumir o cargo.

“Caixa-preta” era o termo utilizado para se referir ao conjunto de informações sobre supostos atos – ilícitos ou não – que teriam sido mantidos ocultos da opinião pública. Ele continuou a discorrer sobre o tema:

“Eu pensava que era caixa-preta, mas não. O dinheiro foi legalmente para o exterior, com medidas provisórias alteradas ‘no cantinho’ e aguardando o momento em que a votação fosse simbólica, e não nominal. E o montante é assustador!”.

Em seguida, ele voltou a fazer críticas a um dos seus alvos preferidos: a Venezuela. De acordo com o presidente, o governo do colega Nicolás Maduro não honra seus compromissos com o BNDES pela realização de obras em seu território.

Água potável

Lançado oficialmente nesta segunda-feira, o programa “Água nas Escolas” prevê a construção de 2 mil cisternas para beneficiar essa parcela de estudantes com abastecimento de água. O projeto será financiado pelo BNDES, pela Fundação Banco do Brasil e pelo Ministério da Cidadania. Cada uma das entidades contribuirá com R$ 20 milhões.

Ele classificou como “vergonhosa” a falta de acesso à água potável por cerca de 100 mil alunos de escolas públicas localizadas em áreas rurais.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Ministério da Saúde diz que mais de 60 milhões de doses de vacina contra covid serão distribuídas no país até o fim do mês
Bolsonaro diz que horário de verão poderá voltar, “desde que a maioria da população seja a favor”
Deixe seu comentário
Pode te interessar