Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Capa – Caderno 1 Polícia não acredita que advogado morto na Cidade Baixa tenha sido vítima de latrocínio

Câmeras de segurança da região mostraram parte da movimentação do criminoso. (Foto: Reprodução)

As investigações preliminares sobre a morte do advogado Gabriel Pontes Fonseca Pinto, 28 anos, baleado na tarde da última terça-feira no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, ainda não convenceram a Polícia Civil gaúcha sobre a hipótese de latrocínio. Isso porque uma série de detalhes fogem ao padrão desse tipo de crime.

De acordo com o delegado Paulo César Jardim, titular da 1ª Delegacia de Polícia da Capital, há várias linhas de investigação e o caso é complicado. “Já fomos ao local, temos algumas imagens e ouvimos testemunhas”, frisou. “As possibilidades são as mais variadas.”

Ele não descarta, por exemplo, que a vítima conhecesse o autor dos dois disparos. Antes do homicídio, cometido na esquina das ruas Lima e Silva e Alberto Torres (próximo ao centro comercial Nova Olaria), o criminoso teria retirado o capacete – ele havia chegado sozinho de motocicleta ao local – e conversado com o advogado.

Também chamou a atenção dos investigadores o fato de Gabriel ter recebido dois tiros no tórax quando já estava caído no chão, após ser derrubado (ele faleceria no final da tarde, no Hospital de Pronto-Socorro), e de o motoqueiro não ter levado os quase R$ 1 mil reais, celular e outros pertences do advogado.

No mapeamento feito até agora, já se sabe que, antes do incidente, a vítima havia deixado o Foro Central, no bairro Praia de Belas, e passado em uma agência lotérica. Entretanto, ainda não há confirmação para o relato de que Gabriel foi morto após passar por uma agência da Caixa Econômica Federal na esquina da rua Alberto Torres com a José do Patrocínio (a uma quadra do local do crime).

Nos perfis de Gabriel em redes sociais como o Facebook e o Instagram, diversos amigos e colegas deixaram mensagens elogiando o advogado e prestando solidariedade aos familiares da vítima. “Inteligente”, “sensível” e outros adjetivos pontuaram os textos. O sepultamento foi realizado por volta das 16h dessa quarta-feira, no cemitério São José, em Porto Alegre.

Nota de pesar da OAB-RS

Por meio de seu site, a seccional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) no Rio Grande do Sul, emitiu nota de pesar pela morte de Gabriel Pontes Fonseca Pinto, inscrito na entidade sob o número 112.074.

“Temos que seguir firmes contra a violência”, frisou o presidente da Ordem no Estado, Ricardo Breier. “Perdemos um jovem colega, que entra para as tristes estatísticas da insegurança pública. Vamos acompanhar a devida apuração dos fatos e esclarecimentos sobre esta morte violenta.”

(Marcello Campos)

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

Audiência sobre obras no entorno da Arena do Grêmio acontece nesta quinta
Atropelamento mata 18 pessoas e deixa 20 feridas na Guatemala
Deixe seu comentário
Pode te interessar