Sexta-feira, 05 de Junho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

Brasil Advogado diz que a intenção de suposto hacker era vender as conversas de Sérgio Moro para o PT

Compartilhe esta notícia:

Entre os planos de Moro até o fim do ano também estão abrir 22 mil vagas no sistema prisional. (Foto: Reprodução/EBC)

O advogado Ariovaldo Moreira afirmou na noite desta quarta-feira (24) que o DJ Gustavo Henrique Elias Santos disse em depoimento à PF (Polícia Federal) que a intenção de Walter Delgatti Neto, apontado como o hacker que invadiu os celulares do ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro, e outras autoridades, queria vender ao PT as mensagens que obteve.

Moreira deu as declarações após os depoimentos prestados por Gustavo Santos e pela mulher dele, Suelen Priscila de Oliveira, na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, onde estão presos. Segundo o advogado, Gustavo Santos disse aos investigadores que ouviu essa versão do próprio Walter Delgatti.

“Essa informação, isso daí está nos autos, é oficial. Então, ele confirma que o Walter mandou mensagem para ele, mandou inclusive parte da interceptação telefônica do juiz Sergio Moro e a intenção, segundo ele, o meu cliente, ele dá conta de que o Walter disse a ele que a intenção era vender esse produto, essas informações, para o Partido dos Trabalhadores”, declarou.

De acordo com o advogado, Walter Delgatti manifestou essa intenção “na hora que ele mostrou as informações para o meu cliente. Meu cliente falou para ele mais de uma vez: ‘Rapaz, isso é um pouco perigoso, toma cuidado’. E ele falou: ‘A minha intenção é vender para o Partido dos Trabalhadores”.

O advogado afirmou que Gustavo Santos tem conhecimento somente da suposta intenção de Delgatti de vender o material, mas disse não saber se ele procurou alguém e se vendeu. “Meu cliente não tem essa informação. A única coisa que meu cliente narrou é que o Walter disse para ele a intenção de vender isso para o Partido dos Trabalhadores. Se ele vendeu, se ele n vendeu, se ele entregou esse material gratuitamente pra alguém, isso nós não sabemos”.

Segundo Moreira, o cliente disse no depoimento que Delgatti é “um sujeito bem propenso ao Partido dos Trabalhadores. É uma pessoa que tem uma certa simpatia ao Partido dos Trabalhadores”. De acordo com o advogado, “no primeiro momento o Gustavo não acreditou quando ele [Delgatti] encaminhou para ele parte das conversas. Aí, em um segundo momento, que além das conversas do juiz, ele apresenta outras pessoas interceptadas, que, segundo consta, que, segundo o Walter narra, foi ele que interceptou”.

Sérgio Moro foi o juiz responsável pela condenação em primeira instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Posteriormente, o juiz deixou o cargo para assumir o Ministério da Justiça no governo do presidente Jair Bolsonaro.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Porto Alegre tem quase 450 casos confirmados de dengue desde início do ano
No Dia do Motorista, confira dicas para cuidar bem do seu carro
Deixe seu comentário
Pode te interessar