Terça-feira, 26 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Flávio Pereira Lula é medalha de ouro no ranking mundial da corrupção

Compartilhe esta notícia:

Lula, na prisão em Curitiba. (Foto Reprodução)

Uma nota que vem circulado nos últimos dias em redes sociais, indicando que o ex-presidente e maior ladrão do País, Luiz Inácio Lula da Silva, entrou para o ranking dos líderes mais corruptos da história da humanidade, vem sendo contestada pelas famosas agências de checagem.

O fato, é verdade, não foi publicado pela citada organização não-governamental de anti-corrupção sediada na Alemanha, chamada Transparência Internacional, nem nas revistas que são mencionadas pelo texto. Mas os dados são condizentes com a realidade.

Os fatos

“Segundo o Ministério Público Federal, a corrupção durante a era Lula e Dilma pode ter sido de aproximadamente 206 bilhões de dólares, ao longo dos 13 anos do PT no poder. Considerando que Lula é o líder supremo do partido, e esteve nos bastidores controlando tudo enquanto Dilma era presidente da República entre 2010 e 2015, o petista pode assumir o topo da lista dos líderes mais corruptos do mundo.”

A lista

Os dez líderes mais corruptos do mundo, com Lula na primeira posição, seria estes:

– Ex-presidente do Brasil, Lula ($ 206 bilhões – entre 2003 e 2015);
– Ex-presidente da Indonésia, Suharto ($ 15 bilhões – $ 35 bilhões entre 1967 e 1998);
– Ex-presidente das Filipinas, Ferdinand Marcos ($ 5 bilhões – $ 10 bilhões entre 1972 e 1986);
– Ex-presidente do Zaire, Mobutu Sese Seko ($ 5 bilhões entre 1965 e 1997);
– Ex-chefe de Estado da Nigéria, Sani Abacha ($ 2 bilhões – $ 5 bilhões entre 1993 e 1998);
– Ex-presidente da Iugoslávia e da Sérvia, Slobodan Milošević ($ 1 bilhão entre 1989 e 2000);
– Ex-presidente do Haiti, Jean-Claude Duvalier ($ 300 milhões – $ 800 milhões entre 1971 e 1986);
– Ex-presidente do Peru, Alberto Fujimori ($ 600 milhões entre 1990 e 2000);
– Ex-primeiro-ministro da Ucrânia, Pavlo Lazarenko ($ 114 milhões – $ 200 milhões entre 1996 e 1997);
– Ex-presidente da Nicarágua, Arnoldo Alemán ($ 100 milhões entre 1997 e 2002);
– Ex-presidente das Filipinas, Joseph Estrada ($ 78 milhões – $ 80 milhões entre 1998 e 2001)

Yeda não vota em Eduardo Leite na prévia do PSDB

Presidente nacional do PSDB Mulher, a ex-governadora do Rio Grande do Sul Yeda Crusius anunciou apoio a João Doria na prévia interna do partido para escolher o candidato a presidente da República nas eleições de 2022. O governador paulista já usa este apoio na sua propaganda interna.

Nos bastidores, circula uma versão de que a ex-governadora, atual suplente da Câmara dos Deputados, teria se sentido ofendida ao ser procurada pelo governador Eduardo Leite com uma proposta para obter o seu apoio. Em troca, o governador promoveria uma mudança no secretariado, permitindo que Yeda assumisse uma cadeira na Câmara.

Transparência nas vacinas, segundo Osmar Terra

O médico e ex-ministro Osmar Terra reitera que defende as vacinas, para prevenção de doenças, e da vacinação, para ajudar a imunização coletiva no surto pandêmico. Porém, segundo ele, “questiono é a falta de informação sobre sua eficácia, como ocorre com a Coronavac. A população tem o direito à informação prévia e correta!”.

População tem direito à informação sobre efeitos de um medicamento. Para isso, tem as bulas. Porque não tem o mesmo direito de saber efeitos e eficácia de uma vacina? Por que só depois de duas doses de Coronavac ela é informada que precisa fazer a terceira e quarta (como na Turquia)?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Flávio Pereira

Jair Bolsonaro promete apresentar na ONU “a verdade sobre o Brasil”
Na ONU, foco de Bolsonaro na retomada do crescimento da economia após a pandemia
Deixe seu comentário
Pode te interessar