Quinta-feira, 09 de dezembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Light Drizzle

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Economia Alta da inflação afetou de maneira acentuada o volume de vendas de supermercados e postos de combustíveis

Compartilhe esta notícia:

Prévia do PIB cai 0,15% em agosto após dois meses de alta. (Foto: EBC)

Após registrar alta por dois meses consecutivos, o Banco Central informou que seu Índice de Atividade Econômica Brasileira (IBC-Br) interrompeu a sequência de dois meses de crescimento e apresentou queda em agosto. Segundo o Banco Central (BC), o índice caiu 0,15% em agosto ante julho, na série já livre de influências sazonais. Em julho, o avanço havia sido de 0,23% (em dado revisado). O IBC-Br acumula alta de 6,41% no ano até agosto e de 3,99% em 12 meses.

O desempenho do varejo ampliado (-2,5%) decepcionou as expectativas, conforme o indicador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em meio à inflação alta, assim como o comportamento da indústria (-0,7%) ficou aquém do esperado diante dos problemas na cadeia de suprimentos global.

O comportamento da indústria, que tem sofrido diante dos problemas na cadeia de suprimentos global, também ficou aquém do esperado para o período e registrou queda de 0,7%. Segundo a Pesquisa Industrial Mensal, divulgada no último dia 5 de outubro, pelo IBGE, o mês de agosto foi o terceiro consecutivo em que o setor registrou perdas.
Por outro lado, o volume de serviços prestados ficou um pouco acima do previsto (0,5%), com o avanço da vacinação contra a covid-19 e o processo de reabertura da economia.

De julho para agosto, o índice de atividade calculado pelo BC passou de 139,44 pontos para 139,23 pontos na série dessazonalizada, no maior patamar desde junho deste ano (139,12 pontos).

A alta do IBC-Br ficou dentro do intervalo projetado pelos analistas do mercado financeiro consultados pelo Projeções Broadcast, que esperavam resultado entre queda de 0,99% e avanço de 0,25%, mas um pouco abaixo da mediana negativa de 0,10%.

Na comparação entre os meses de agosto de 2021 e agosto de 2020, houve crescimento de 4,74% na série sem ajustes sazonais. Essa série registrou 141,93 pontos em agosto, o melhor desempenho para o mês desde 2018 (143,36 pontos).

Conhecido como uma “prévia do BC para o PIB”, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A projeção atual do BC para a atividade doméstica em 2021 é de crescimento de 4,7%, estimativa que foi atualizada no último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), no mês passado.

No último Relatório de Mercado Focus, divulgado pelo BC na segunda-feira, 11, a projeção para o crescimento do PIB em 2021 ficou em 5,01%. O Focus reúne as projeções dos economistas do mercado financeiro.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Governo quer distribuir recursos de venda de empresas estatais para beneficiários do Bolsa Família
Veja as novas datas da prova de vida do INSS
Deixe seu comentário
Pode te interessar