Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Fair

Colunistas Avança o Centro de eventos da capital

Ministro Onyx Lorenzoni e prefeito Marchezan Jr. trataram do Centro de Eventos. (Foto: Rafael Carvalho/Casa Civil)

O Centro de Convenções e Eventos de Porto Alegre, espaço em área de 3,7 hectares, ao lado do Estádio Beira-Rio que estava no papel desde 2013, está saindo do papel. Já tem assegurados R$ 60 milhões vindos dos cofres da União. A noticia foi dada pelo chefe da Casa Civil da Presidência a República Onyx Lorenzoni, após audiência com o prefeito da capital gaúcha, Nelson Marchezan Júnior, em Brasília.

Mais recursos para o Centro de Eventos

Outros recursos estão previstos no orçamento da União para o empreendimento, explicou o ministro da Casa Civil. Viriam de verba suplementar do orçamento do Ministério do Turismo. Se a liberação dos recursos a fundo perdido ocorrer em seis meses, a obra pode ser concluída ainda no final do próximo ano, estima o prefeito de Porto Alegre.

Após reuniões, alterações nos projetos

Depois de uma intensa rodada de reuniões nos últimos dias, uma equipe do governo gaúcho vai ter trabalho extra no final de semana para analisar as sugestões dos deputados e alterar os textos de alguns dos projetos do pacote. O governo trabalha com a hipótese de convocação extraordinária da Assembleia Legislativa na quarta-feira com a votação se iniciando no dia 27 de janeiro.

Trabalho no recesso

O líder do governo, deputado Frederico Antunes, suspendeu o descanso. E desenvolveu até aqui, em pleno recesso, um trabalho de fôlego coordenando os diálogos com deputados da base na Assembleia Legislativa. O interesse dos deputados foi intenso. Frederico Antunes avalia que, “mesmo em período de recesso, tivemos a participação de 22 parlamentares”.

Terça, uma minuta

Até terça-feira da próxima semana, o governo terá concluídas as alterações, resultado de reuniões e avaliações feitas com os deputados. O texto será apresentado em reunião com os parlamentaras da base.

Ônibus: a baderna de quem não usa

O Movimento Passe Livre, integrado principalmente por muitos militantes que sequer conhecem o transporte coletivo, realizou em São Paulo uma manifestação violenta contra o aumento da tarifa. A Polícia Militar conteve o grupo, e deteve dez pessoas. Desde o dia 1º de janeiro, as passagens de ônibus, trem e metrô em São Paulo passaram de R$ 4,30 para R$ 4,40.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Antártica ou Antártida, eis a questão
Fatos históricos do dia 18 de janeiro
Deixe seu comentário
Pode te interessar