Segunda-feira, 01 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Partly Cloudy

Brasil O avião que buscará doses da vacina de Oxford na Índia vai atrasar até três dias

Compartilhe esta notícia:

Compartimento de cargas do avião da Azul onde as vacinas serão acomodadas. (Foto: Ministério da Saúde/Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (15) que vai atrasar até três dias a saída do Brasil do avião da companhia aérea Azul destacado para buscar na Índia 2 milhões de doses adquiridas do laboratório indiano Serum.

A partida do avião estava programada para as 23h desta sexta, de Recife (PE). A aeronave deixou o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), no final tarde desta quinta (14) e chegou à noite à capital pernambucana, de onde deve rumar para Mumbai, na Índia. O avião é o maior da Azul Linhas Aéreas e está equipado com contêineres para acondicionar os imunizantes. No fim da tarde, após a declaração do presidente, a Azul informou que o voo estava adiado.

Em entrevista à TV Bandeirantes, Bolsonaro falou em “pressões políticas” na Índia que, segundo ele, retardaram a partida do avião brasileiro.

“Foi tudo acertado para disponibilizar 2 milhões de doses. Só que neste exato momento, está começando a vacinação na Índia. É um país com 1,3 bilhão de habitantes. Então, resolveu-se — aí não foi decisão nossa — atrasar um ou dois dias, até que o povo comece a ser vacinado lá. Lá também tem as pressões políticas de um lado e de outro. Isso daí, no meu entender, daqui a dois, três dias, no máximo, nosso avião vai partir e vai trazer esses 2 milhões de vacinas para cá”, declarou Bolsonaro.

As 2 milhões de doses foram importadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A vacina foi desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca.

“Que fique claro: somos 210 milhões de habitantes, e 2 milhões de doses equivalem a 1%. É muito pouco e não tem disponibilizado no mercado. Vamos procurar fazer, como está sendo muito bem tratado pelo [ministro da Saúde, Eduardo] Pazuello junto ao Butantan, nós fazermos nossa vacina aqui”, disse Bolsonaro.

A programação do voo prevê que, depois de receber a carga com as doses da vacina, o avião seguirá para Lisboa, em Portugal. No Brasil, o pouso, no retorno, está previsto para o Aeroporto Internacional do Galeão (RJ).

Dúvida

O jornal indiano “The Times of India” noticiou que o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores daquele país, Anurag Srivastava, disse na quinta-feira ser “cedo demais” para garantir que a Índia vá conseguir disponibilizar a outros países doses do imunizante de Oxford, produzidas localmente pelo Instituto Serum. Segundo ele, o país tem como prioridade imunizar sua população.

“É muito cedo para dar uma resposta específica sobre o fornecimento a outros países. Ainda estamos avaliando os cronogramas de produção e a disponibilidade para tomar decisões a esse respeito. Isto pode tomar algum tempo”, afirmou Srivastava.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

A FAB faz transferência de pacientes com coronavírus de Manaus para outros Estados
Jornais no exterior destacam cenas de desespero em Manaus
Deixe seu comentário
Pode te interessar