Segunda-feira, 10 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Fair

Geral Beneficiado com regime aberto, Pimenta Neves, jornalista que matou a ex-namorada em 2000, deixa a prisão

Compartilhe esta notícia:

O jornalista foi condenado a 19 anos de prisão. Em agosto de 2000, ele matou Sandra com dois tiros pelas costas em um haras no interior de SP. (Foto: Leonardo Soares/AE)

O jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, 79 anos, condenado pela morte da também jornalista e ex-namorada Sandra Gomide, deixou a Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo. Pimenta Neves foi transferido do regime semiaberto para o regime aberto, na semana passada.

Na sentença, do último dia 10, o juiz Carlos Henrique Scala de Almeida considerou o bom comportamento e o cumprimento do período necessário para a progressão de regime (um sexto da pena). Nele, Pimenta Neves deverá comprovar que trabalha e não saiu durante a noite – entre 20h e 6h.

O advogado da família Gomide, Sergei Cobra Arbex, disse ao jornal O Globo que a progressão de regime é um direito de Pimenta Neves. “Agora não tem o que fazer. Faz parte do processo. Nossa função era condená-lo. Ele deveria ter cumprido a pena há muito tempo, mas a Justiça falha para todos os lados”, lamentou Arbex.

A defesa de Pimenta Neves preferiu não se pronunciar. O pai de Sandra não foi localizado para comentar o caso. Segundo Arbex, a família está “destroçada”.

O jornalista foi condenado a 19 anos de prisão. Em agosto de 2000, na época diretor de redação do jornal O Estado de S. Paulo, ele matou Sandra, ex-editora de economia do mesmo periódico, com dois tiros pelas costas em um haras em Ibiúna (SP). Ele confessou a autoria do crime quatro dias após o ocorrido.

(AG)

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Congresso aprova emenda que abre possibilidade de os políticos trocarem de partidos sem perder o mandato
Governo inicia preparação contra possíveis ameaças terroristas nos Jogos Olímpicos no Rio
Deixe seu comentário
Pode te interessar