Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Colunistas Bloqueios na pista

Compartilhe esta notícia:

Lira disse ainda que a Câmara e o Senado avançaram na transparência das emendas e que discutirá o que mais pode ser feito nesse sentido com os ministros do Supremo. (Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados)

Um detalhado informe do setor de inteligência da Polícia Rodoviária Federal para o Palácio do Planalto ao qual a Coluna teve acesso revelou que, até ontem à noite, eram 173 os pontos de concentração de caminhoneiros em estradas federais do Brasil, e 53 bloqueios nas rodovias. A manifestação pró-presidente Jair Bolsonaro prometida ocorreu em movimento nacional, com menor ou maior prejuízo de tempo para quem se deparou com os grupos. Em muitos casos são motoristas associados a grandes transportadoras, sindicatos patronais aliados do presidente, que bancam o óleo e a diária aos motoristas. De acordo com os informes, a tensão paira sobre os Estados do Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas, Paraná e Santa Catarina. Mais de 400 motoristas estão em faixa de acostamento na estrada que liga o DF a Luziânia (GO).

Encham o tanque

A situação pode piorar e chegar aos postos de gasolina das principais capitais: os ‘tanqueiros’ de combustíveis de Minas Gerais aderiram à paralisação de 24 horas. Os de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Espírito Santo estão em estado de greve.

Riscos ao volante

Ainda segundo o relatório, veículos de passeios não são detidos. Mas caminhoneiros são barrados, e os que insistem em passar sofrem pressão ou até danos materiais.

Radiografia do asfalto

Na região Sul são registrados 94 protestos e 28 bloqueios; Na Sudeste são 29 e 9; No Centro-Oeste, 29 e 10, respectivamente. E existiam até a noite passada pontos de bloqueios na Bahia, Maranhão, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso e ES.

Acredite, se quiser

Um grupo bolsonarista protocolou ontem no fim do dia, no Senado, um requerimento para o presidente Rodrigo Pacheco com dois pedidos: destituir todos os ministros do Supremo Tribunal Federal; e aprovar a PEC 113-A, que obriga a impressão de voto da urna eletrônica do Tribunal Superior Eleitoral.

Tropa

Entre os signatários do requerimento estão Marco Antônio Pereira, o Zé Trovão (com mandado de prisão e procurado pela Polícia Federal), Francisco Dalmora, o Chicão Caminhoneiro; Fabio de Salles, APROSOJA MG (cuja sede de Mato Grosso foi alvo da PF no dia 6, por suspeita de bancar protestos antidemocráticos) e outros.

Não avança

Presidente da Câmara dos Deputados, a quem cabe a canetada do ‘sim’ ou ‘não’, Arthur Lira (Progressistas-AL) não aprova pedido de impeachment do presidente Bolsonaro. Ele está ali para isso, entre outros assuntos do padrinho inquilino do Palácio.

Aliás…

… Bolsonaro precisa de apenas 142 votos para barrar o impeachment, e na votação da PEC do voto impresso a oposição mostrou que não tem esses votos.

Teleférico…

Uma missão técnica começou ontem, no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, o levantamento dos problemas da região onde funcionava o teleférico que tinha 152 cabines num percurso de 3,6 km e atendia toda população das comunidades dos morros. Conforme a Coluna antecipou, o sistema de transporte vai voltar.

… e galeria comercial

O projeto de reativação é uma das prioridades do governador Cláudio Castro. Além do teleférico, haverá postos de atendimento de Saúde, bancos e serviços para a população. Inicialmente será feito diagnóstico e em seguida o início das obras de reativação.

Pão verbal

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) lançou ontem o livreto ‘Pão Diário’, com 365 mensagens de auto-ajuda (uma para cada dia do ano), no escopo da campanha Setembro Amarelo, contra o suicídio.

Turbulência (no chão)

A ITA Linhas Aéreas nega que um voo seu foi cancelado. Mas alega problemas numa aeronave, a do voo 5206, no dia 4 de setembro, que teve de passar por “manutenção não programada”. O embarque seria às 12h15 de São Paulo (GRU) para Porto Seguro, e só decolou às 22h21. Conforme publicamos, houve problemas, sim. Alguns passageiros desistiram e perderam o feriadão. Questionada, a empresa decidiu não informar quantos foram os cancelamentos e quantos alocou em outros voos.

 

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Fatos históricos do dia 9 de setembro
Despesas com a lei de proteção de dados são consideradas insumos para fins de creditamento do PIS e da COFINS
Deixe seu comentário
Pode te interessar