Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Mostly Cloudy

Brasil O Brasil registra mais 461 mortes em 24 horas e o total chega a 153.675 desde o início da pandemia

Compartilhe esta notícia:

Desde o início da pandemia, país registra 153,6 mil óbitos. (Foto: Itamar Crispim/ Fiocruz)

O Brasil confirmou mais 461 mortes decorrentes de complicações causadas pelo novo coronavírus entre a sexta-feira (16) e este sábado (17). Com isso, o país atingiu a marca de 153.675 óbitos causados pelo coronavírus desde que o primeiro caso da doença foi registrado no Brasil, no fim de fevereiro deste ano.

Os números constam do balanço diário que o Ministério da Saúde divulgou no início da noite deste sábado. Repassados pelas secretarias de saúde dos estados, o boletim leva em consideração as informações registradas em um período de 24 horas.

Segundo a pasta, mais 24.062 diagnósticos positivos foram contabilizados no último período, elevando para 5.224.362 o total de casos confirmados da doença em todo o País. A população brasileira supera os 210,1 milhões de habitantes – o que significa dizer que a presença do vírus foi atestado em menos de 3% da população.

Entre os casos já confirmados, 4.635.315 pacientes se recuperaram da doença, o que equivale a 88,7% do total de pessoas cujos testes confirmaram a infecção pelo novo coronavírus. Outros 435.372 pacientes seguem em tratamento.

Em termos absolutos, as unidades da federação com mais mortes são São Paulo (37.992, para 1.062.634 casos); Rio de Janeiro (19.715, para 289.569 casos), Ceará (9.207 para 264.245 casos), Pernambuco (8.480 para 155.923 casos) e Minas Gerais (8.405, para 333.998 casos). As unidades da Federação com menos óbitos são Acre (679), Roraima (681), Amapá (731), Tocantins (1.042) e Rondônia (1.421).

Nas últimas três semanas, o Brasil tem apresentado redução nos óbitos pela covid-19. A tendência de queda se estende também para os registros de casos da doença, quando comparada a semana de 4 a 10 de outubro com a semana anterior, de 27/9 a 3/10. Conforme dados do Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, o País apresentou redução de 8% nos registros de óbitos em relação à semana anterior e 6,9% nos registros de casos da doença.

Diagnóstico laboral

Desde o início da pandemia, em março de 2020, o diagnóstico laboratorial se destacou como uma ferramenta essencial para confirmar os casos e, principalmente, para orientar estratégias de atenção à saúde, isolamento e biossegurança para profissionais de saúde. De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, o Ministério da Saúde está realizando todas as ações necessárias para garantir a continuidade das testagens nos estados.

Entre as ações de enfrentamento à covid-19, o Ministério da Saúde lançou o Programa Diagnosticar para Cuidar que busca a ação integrada da Vigilância em Saúde e da Atenção Primária e Especializada à Saúde para identificar e tratar precocemente os casos de Síndrome Gripal – SG e Síndrome Respiratória Aguda Grave – SRAG e diagnosticar laboratorialmente a covid-19. Além disso, foi ampliada a recomendação de testagem para todos os casos suspeitos de covid-19 e para profissionais de saúde.

Até 11 de outubro, foram realizados 17 milhões de exames para covid-19. Nas últimas cinco semanas (Semanas Epidemiológicas 37 a 41) foram realizados uma média de 213.154 exames por semana, o que representa cerca de 30.450 exames por dia.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Estudo mostra a mudança de hábitos alimentares durante a pandemia no Brasil
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 29 milhões na quarta
Deixe seu comentário
Pode te interessar