Domingo, 28 de novembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Brasil registra mais de 537 mil vítimas de Covid na pandemia; ainda alta, média móvel aponta queda há 18 dias

Compartilhe esta notícia:

País contabiliza 537.498 óbitos e 19.209.021 casos.

Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Governo de Santa Catarina
Em seu pior momento a curva da média móvel nacional chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano. (Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Governo de Santa Catarina)

O Brasil registrou 1.574 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta quarta-feira (14) 537.498 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.270 – o menor registro desde o dia 1º de março (quando estava em 1.223). Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -19% e aponta tendência de queda. É o 18º dia seguido de queda nesse comparativo.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta quarta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Média móvel

Quinta (8): 1.451
Sexta (9): 1.387
Sábado (10): 1.321
Domingo (11): 1.296
Segunda (12): 1.297
Terça (13): 1.273
Quarta (14): 1.270

De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel de mortes acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia, 19.209.021 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 56.956 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 42.866 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de -21% em relação aos casos registrados na média há duas semanas, o que indica tendência de queda também nos diagnósticos.

Em seu pior momento, a curva da média de diagnósticos chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho.

Estados

Em alta (2 Estados): PR, AC
Em estabilidade (6 Estados): TO, RO, BA, PE, RJ, GO
Em queda (17 Estados e o DF): DF, CE, MA, MG, AL, SC, RS, AM, RN, AP, MT, SP, SE, ES, PB, PA, MS, PI
Não divulgou (1 Estado): RR

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás.

Vale ressaltar que há Estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar a grandes variações percentuais. Os dados de médias móveis são, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

Balanço vacinação

A população brasileira que está totalmente imunizada contra a Covid, ou seja, que tomou a segunda dose ou a dose única de vacinas contra a doença, passou de 15%. São 29.210.770 milhões que tomara a segunda dose e 2.907.947 que tomaram a dose única, um total de 32.116.110 pessoas imunizadas (15,17%).

Os que tomaram primeira dose de vacinas contra a Covid chegaram a 40,76%. São 86.332.655 de doses aplicadas, o que corresponde a 40,77% da população.

Somando a primeira dose, a segunda e a dose única são 118.448.765 doses desde o começo da vacinação, em janeiro.

De terça (13) para esta quarta-feira (14), a primeira dose foi aplicada em 912.894 pessoas, a segunda em 490.678 e a dose única em 177.261, um total de 1.580.833 doses aplicadas.

Amapá é o único Estado que ainda tem menos de 10% de sua população imunizada com as duas doses ou dose única de vacinas contra a Covid. O Estado tem 9,75% de imunizados.

Entre os Estados com mais imunizados estão Mato Grosso do Sul (27,77%), Rio Grande do Sul (20,18%) e Espírito Santo (17,04%).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Municípios gaúchos recebem cerca de 400 mil doses de vacinas contra Covid para a segunda aplicação
Servidores municipais de Porto Alegre terão novas alíquotas de contribuição previdenciária
Deixe seu comentário
Pode te interessar